Educador denuncia racismo contra o filho em supermercado

Menino tem 12 anos e estava em Laranjeiras

Por O Dia

Rio - Um menino de 12 anos foi vítima de racismo enquanto acompanhava o pai, o educador André Couto, a um supermercado na Rua das Laranjeiras, na Zona Sul. Indignado, o educador foi às redes sociais e fez um desabafo. “Não desculpo porque essa cena agora faz parte da memória do meu filho. Não desculpo porque o meu filho vendo o meu rosto transtornado me pediu desculpas como se ele tivesse feito algo errado”, dizia um trecho do texto publicado no perfil de André Couto no Facebook. O caso aconteceu no sábado.

André contou que funcionário tentou expulsar o filho do mercadoReprodução Facebook

Couto disse que, enquanto aguardava na fila do caixa, o filho pegou um chocolate na gôndola de doces e seguia em sua direção para pedir ao pai que comprasse. Nesse momento o menino foi abordado por seguranças e convidado a se retirar da loja “dando tapinhas nas costas dele para se apressar”, como relatou o pai.

Ao ver a cena, Couto ficou indignado e um fiscal da loja prontamente lhe pediu desculpas, mas para o pai, a atitude não se justificava. “Por alguma razão, o segurança se sentiu autorizado em abordar o meu filho sem, ao menos, verificar se ele estava ou não acompanhado. Aliás, nada estaria errado caso ele estivesse sozinho”, pontuou Couto.

O educador ressalta que o ato vivido no sábado não foi o primeiro em sua vida, mas ao lado de seu filho, com quem vive há 18 meses, fruto de uma adoção, era. Com um sentimento de dor, o pai, emocionado, se desculpa com o próprio filho por não ter conseguido evitar aquela vivência, que fez seu filho se sentir culpado por desejar um chocolate.

O DIA tentou contato com o supermercado, mas nenhuma das ligações foram atendidas. Couto informou que ainda não registrou o caso em delegacia, mas que pretende dar queixa.

Últimas de Rio De Janeiro