PF investiga contratação irregular de empresas pelo governo de Angola

Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão em residências e empresas localizadas na Barra e Recreio. Intermediários cobravam 35% de propina em cima de contratos firmados com governo angolano

Por O Dia

Rio – A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF), o apoio de autoridades da França, realizam nesta quarta-feira uma operação  para cumprir 12 mandados de busca e apreensão residências e empresas na Barra da Tijuca e no Recreio, na Zona Oeste do Rio. Uma investigação apura a utilização de intermediários em contratos entre o Governo Angolano e empresas estrangeiras mediante pagamento de comissões.

As investigações apontam que os envolvidos cobravam o percentual de até 35% sobre o valor total dos contratos que seriam firmados com a administração do país africano, contando com a conivência de agentes públicos angolanos.

Participam da operação Le Coq — galo em francês e um dos símbolos da França — sessenta policiais federais para cumprir as ordens de busca e apreensão expedidas pela 9ª Vara Federal do Rio de Janeiro. O grupo é acusado de corrupção de agente público estrangeiro, falsificação de documentos públicos e outros crimes.

Últimas de Rio De Janeiro