Rio se despede do outono sob forte temporal e nó no trânsito

Bairros ficam alagados e motoristas e passageiros, presos na volta para casa. Inverno terá semanas quentes e frias

Por O Dia

Rio - O último dia de outono foi marcado por fortes chuvas no Rio, que deixaram a maior parte dos bairros da Zona Sul alagados e deram um nó no trânsito na volta para casa. A formação de bolsões d’água deixou motoristas presos com os veículos encobertos pelas águas na Rua Jardim Botânico.

A Rua Pacheco Leão ficou ilhada, assim como outras vias dos bairros do Catete, Botafogo, Laranjeiras, Gávea e Leblon, que foram os mais atingidos. “Estou ilhada em Copacabana e a água está entrando nas lojas”, relatou uma internauta no Twitter.

A Rua Barão de Lucena%2C em Botafogo%2C ficou alagada e moradores tiveram trabalho para chegar em casaVeronica Marques

“Botafogo completamente alagado, só chego em casa se conseguir andar sobre as águas”, brincou outra. Na Tijuca, Milene Souza, 41, ficou presa no ônibus, na altura da Praça Afonso Pena.

A CET-Rio pediu para que os motoristas evitassem a circulação pelos bairros afetados devido ao congestionamento na Ponte Rio-Niterói, no Centro do Rio e na Linha Amarela, no sentido Barra da Tijuca. Também choveu forte na Avenida Brasil, com retenções de Benfica até a Ponte. Mais tarde, a chuva também se intensificou na Barra.

Nas áreas de risco, sirenes foram disparadas devido à chuva forte. No Morro do Borel, na Tijuca, por exemplo, quatro equipamentos foram acionados e agentes da Defesa Civil orientam a população no local.

Avenida Brasil apresentou lentidão no tráfegoCentro de Operações Rio

A cidade está em estágio de atenção desde o fim da noite de segunda-feira, quando houve o transbordamento do nível do Rio Maracanã, além de quedas de árvores na Tijuca. “Parecia um dilúvio”, disse uma moradora, que não pôde sair de casa para levar a filha à emergência.

Segundo informações do Sistema Alerta Rio, da prefeitura, o acúmulo de água é intenso, além dos ventos em altitude e da aproximação de uma frente fria. Na madrugada de segunda, foram registrados 125 milímetros de chuva, 50% mais que o esperado para o mês de junho na região do Maciço da Tijuca e Alto da Boa Vista, por conta da umidade, ventos em altitude e topografia da região, segundo o Sistema Alerta Rio.

Para quem estava acostumado com um inverno com tempo fechado, prepare-se para se surpreender. Segundo o meteorologista Alexandre Nascimento, do Climatempo, a estação que chegou à 1h24 de hoje será marcada pela inconstância das temperaturas.

O mês de julho terá semanas frias intercaladas com as quentes. Já nos meses de agosto e setembro, o frio ficará restrito às noites, madrugadas e começo das manhãs. As tardes serão quentes e haverá formação de neblinas. O dia de hoje prevê queda gradativa das temperaturas e alta umidade no ar. A máxima chega a 24° C. Já no litoral do Rio, pode chover com moderada intensidade. 

Reportagem do estagiário Matheus Ambrósio, com supervisão de Rosayne Macedo

Últimas de Rio De Janeiro