Rio tem recorde de chuva para o mês de junho e inundações em 15 bairros

Inverno começou na madrugada desta quarta e chuva não deu trégua nas últimas 24 horas. Alagamentos causam transtornos em toda cidade

Por O Dia

Rio - O inverno chegou na madrugada desta quarta-feira e com ele a chuva que insiste em castigar o Rio desde a noite de segunda-feira, quando entrou em Estágio de Atenção às 23h45. A capital registrou recorde de volume de chuva em um único dia para o mês de junho nos últimos 20 anos, com 247 milímetros no Alto da Boa Vista. Quinze bairros estão inundados após chover mais que o esperado para todo o mês e motoristas e pedestres têm dificuldades de transitar pela cidade. Quatorze sirenes em comunidades foram acionados por risco de deslizamento, segundo o Centro de Operações Rio (COR).

"Foi um desafio inesperado no mês de junho. Nunca choveu tanto. A previsão é que à tarde não tenha mais chuva e a maré baixe, que é importantíssimo para o escoamento da água pluvial", disse o prefeito Marcelo Crivella.

Deslizamento de encosta deixa o trânsito em meia pista na Rua Cosme VelhoJonathan Ferreira/Agência O Dia

Nesta manhã, há alagamentos na Avenida Borges de Medeiros, altura do Parque dos Patins, na Lagoa, e o trânsito tem congestionamento. Equipes da Prefeitura usam uma bomba para tentar tirar o acúmulo de água. A Rio Águas informou que a Lagoa Rodrigo de Freitas está com alerta de transbordo desde às 5h05. As comportas do Jardim de Alah foram abertas à noite, porém, devido ao grande volume de chuva, há a possibilidade de transbordo. A Epitácio Pessoa, que também registrou alagamento, já teve a água escoada.

Na Avenida Brasil, havia bolsões d'água que prejudicaram ainda mais o trânsito, no sentido Centro, com lentidão ao longo da via expressa. Na Linha Vermelha, o panorama é o mesmo desde o início da manhã, as retenções desde a Baixada, em direção ao Centro do Rio.

No bairro da Tijuca, o transbordamento do Rio Maracanã ocorreu pelo segundo dia seguido, alagando as principais vias do bairro.

Trânsito parado na Linha Vermelha%2C no sentido Centro do RioTwitter / %40antoniopqdt

Desde ontem, a Zona Sul também vem sofrendo com a chuva, principalmente os bairros Jardim Botânico, Lagoa e Gávea. Somente no Jardim Botânico a chuva acumulada chegou a 130 milímetros, 60% a mais que o esperado para o mês. Um trecho de mais de um quilômetro da Rua Jardim Botânico virou um rio. O ponto mais crítico era o cruzamento com a Rua Pacheco Leão. O trânsito ficou interrompido nos dois sentidos e parou o trânsito, com com reflexos na Gávea, Leblon, Lagoa, Humaitá e Botafogo. A situação foi normalizada hoje pela manhã.

Na Rua Cosme Velho, uma queda de uma barreira durante a noite deixa o trânsito em meia pista no sentido Laranjeiras, na altura do Corcovado. O prefeito Marcelo Crivella este hoje pela manhã no local e acompanhou o início dos trabalhos de remoção do entulho.

"Esse foi o principal desabamento na cidade. E nós estamos tomando todas as providências Mobilizamos as equipes da prefeitura para atuar desde o início do temporal em várias regiões", disse Crivella.


Em Curicica, na Zona Oeste, há 10 pontos de acúmulo de água na Estrada dos Bandeirantes, entre a Estrada Arroio Pavuna e o Rio Centro. O  mesmo ocorre na Avenida das Américas, em ambos os sentidos, na altura do Shopping Barra World.

Estrada de Jacarepaguá completamente inundadaSeguidora %40DaiSous / O Dia 24 Horas

Sirenes em comunidades acionadas

A forte chuva acionou as sirenes do Sistema de Alerta, que detectam risco de deslizamento comunidades do Rio. Até às 8h30, 14 sirenes tinham sido acionadas em sete morros da cidade: Borel e Formiga (Tijuca), Prazeres, Escondidinho e Vila Elza (Santa Teresa), Santa Alexandrina (Rio Comprido), Guararapes (Cosme Velho), Rocinha e Rio das Pedras.

Quedas de árvores também foram registradas após a chuva, nos bairros da Gávea, São Conrado, Copacabana e Tijuca. Equipes da CET-Rio, Corpo de Bombeiros e Comlurb trabalham nos locais.

Aeroportos operam por instrumentos

Na manhã desta quarta-feira, os aeroportos Santos Dumont, no Centro do Rio, e Internacional Tom Jobim, no Galeão, operaram com o auxílio de instrumentos para pousos e decolagens por conta do mau tempo na cidade. Ainda não há informações sobre atrasos ou cancelamentos.

Mesmo com a chuva intensa na cidade, os transportes — trens, metrô, barcas, BRT e VLT funcionam normalmente na manhã desta quarta-feira.

Últimas de Rio De Janeiro