Mais piscinões no combate a enchentes

Projeto será igual ao da Praça da Bandeira

Por O Dia

Rio - Duas semanas após a chuva que alagou diversos pontos do Rio, o secretário de Conservação e Meio Ambiete, Rubens Teixeira, apresentou a intenção da Prefeitura em construir piscinões do mesmo formato da Praça da Bandeira em outros locais da cidade. O assunto foi amplamente abordado ontem, entre o secretário e o deputado estadual, Carlos Osório, ex-titular da pasta na antiga gestão municipal, durante debate público para discutir os desafios da Conservação no Rio.

“Um local onde há uma sobrecarga de impermeabilização do solo com o uso de asfalto e em uma região muito próxima do mar, a saída são os piscinões”, alegou Teixeira, que não informou um prazo para o início das obras, apenas que está “equilibrando as contas para a partir daí dar início às perspectivas”.

Durante o evento, Osório sugeriu ao secretário que o Centro de Operações Rio (COR) volte a atuar junto à Conservação ou ao gabinete do prefeito para que tenha maior eficiência quanto ao monitoramento urbano. “O COR tem que ter uma visão mais ampla de prevenção na operação da cidade que não diz respeito apenas à segurança”, pontuou o deputado, que julgou o encontro produtivo e espera que o prefeito discuta as propostas apresentadas no debate.

Orçamento reduzido

Teixeira ressaltou ao longo do encontro que, apesar de contar com uma equipe de excelência em engenharia, assume estar diante de um orçamento bastante reduzido, cerca de 70% a menos do que a gestão anterior, que foi de R$ 313 milhões.

“É um ataque cirúrgico na gestão para que possamos ser eficientes e evitar que haja impactos negativos. Tapar buraco é importante, mas nada é mais importante do que a vida humana”, contou o secretário, ao esclarecer que o corte em sua pasta é justificável uma vez que a prioridade da prefeitura é cuidar das áreas da saúde e educação.

Sobre os gastos com infraestrutura para as Olimpíadas, Osório apontou que poderia ter sido investido mais na conservação da cidade. “É inegável que houve avanços, principalmente em áreas de infraestrutura e transporte, mas não houve investimento adequado em todas as regiões da cidade”, finalizou o deputado.

Últimas de Rio De Janeiro