Parque Olímpico tem aulas gratuitas para atletas amadores

Projeto foi criado pelo Ministério do Esporte

Por O Dia

Rio - O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, inaugurou ontem no velódromo do Parque Olímpico o projeto Esporte e Cidadania para Todos, que vai prover atividades esportivas gratuitas no local. A medida contempla o esperado legado olímpico. Inicialmente serão oferecidas 450 vagas no programa, distribuídas entre futsal, handball, basquete, vôlei, ciclismo, boxe, judô, jiu-jitsu, luta livre olímpica, entre outros esportes. As inscrição estão abertas e são feitas no local, de 8 às 18h.

O ministro Leonardo Picciani e os atletas que apoiam o projetoLeandro Eiró / Agência O Dia

Na solenidade de inauguração do projeto, além do ministro, estavam os secretários nacionais de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social, Leandro Fróes, o de Esporte de Alto Rendimento, Rogério Sampaio, além do campeão de UFC José Aldo. Todos discursaram para uma plateia de aproximadamente 250 esportistas, entre mestres de artes marciais e muitas crianças de idades diversas.

O ministro ressaltou os benefícios da medida, principalmente para as futuras gerações. “Esse passo é importantíssimo. A partir de hoje teremos centenas de crianças de comunidades participando de 12 modalidades esportivas dentro do projeto, que é também um compromisso social”, contou.

Depois dos discursos de inauguração do Esporte e Cidadania para Todos, ocorreram oficinas de lutas em um superdojo montado no centro do velódromo (cerca de 250 placas de tatame). Também aconteceram clínicas de futebol, basquete, handebol e ciclismo. “A ideia é mostrar para as crianças e responsáveis as atividades que serão realizadas no parque durante dois anos”, explicou o secretário Leandro Fróes. As ações do evento foram uma parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF) e contam com o apoio da Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO).

Últimas de Rio De Janeiro