Adolescente morto em assalto é enterrado na Zona Norte

Guilherme Anselmo foi morto nesta quarta-feira após reagir a um assalto

Por O Dia

Rio - Foi enterrado, nesta quinta-feira, no Cemitério de Inhaúma, Zona Norte do Rio, o adolescente Guilherme Alves Anselmo, 15, morto na tarde desta quarta-feira durante um assalto. O corpo foi velado nesta tarde e o sepultamento aconteceu por volta das 16h30. 

Familiares acreditam que o crime se tratou de uma vingança. “Quem assalta naquela região é do Complexo do Lins. Dois dias antes o Guilherme reagiu a um assalto e chegou a agredir um dos assaltantes. Não tenho dúvida de que eles voltaram armados e aconteceu o que aconteceu”, afirmou o tio do jovem, João Tranquilino. Além da hipótese de vingança, a Delegacia de Homicídios (DH) apura a possibilidade de latrocínio simples.

O corpo de Guilherme será velado e enterrado na tarde desta quinta-feiraDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Parentes e amigos de Guilherme decidiram fazer uma manifestação após o enterro. Eles caminham partindo do cemitério até a rua Monteiro da Luz, em Água Santa, próximo ao Presídio Ary Franco. O trajeto está sendo feito pela Linha Amarela.

Segundo o Centro de Operações, a manifestação causou lentidão no trânsito da via, no sentido Barra da Tijuca, altura de Del Castilho. Há interdições da saída 6 (Maria da Graça) à saída 4 (Pilares). Da altura de Água Santa até a Barra, o trânsito está livre.

Guilherme estava a caminho da escola, o Colégio Visconde de Cairu, no Méier, também na Zona Norte, quando foi abordado por dois homens armados. O jovem teria entrado em luta corporal com com um dos assaltantes para impedir que roubassem o celular que acabara de ganhar, há cerca de uma semana. Ele morava com a mãe, o pai e um irmãozinho de 5 anos, em Água Santa, bairro onde foi morto.

Parentes de jovem assassinado fizeram protesto na Linha AmarelaDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Segundo a polícia, os assassinos seriam da Favela Camarista Méier, do Complexo do Lins. Existem duas linhas de investigação. A primeira refere-se ao roubo. Mas existe a possibilidade de a morte ter sido uma vingança: na semana passada Guilherme teria reagido e agredido um dos bandidos em tentativa de assalto. Ele pode ter sido atacado ontem pelos mesmos criminosos, desta vez, armados, que o reconheceram. 

Guilherme Anselmo%2C 15 anos%2C estava indo para a escola quando foi baleado na cabeça por ladrões em uma moto. Ele lutou com um dos bandidosFoto%3A Maíra Coelho / Agência O Dia

O corpo de Guilherme foi coberto, cercado por colegas que o acompanhavam e curiosos, na Rua Paulo de Medeiros, quando policias do 3ºBPM (Méier) chegaram. A mãe, Gilvanete, se debruçou chorando sobre o corpo do filho e foi retirada do local após passar mal. À tarde, vizinhos e amigos de Guilherme protestaram com camisas e cartazes em Água Santa, cobrando justiça.

Últimas de Rio De Janeiro