Produtora morta em Laranjeiras será enterrada nesta quinta-feira

Velório está previsto para começar às 19h desta quarta. Justiça decretou a prisão preventiva do irmão da vítima, Pedro Luiz de Oliveira Diogo

Por O Dia

Luana fez aniversário na quinta-feira da semana passadaReprodução Internet

Rio - O corpo da produtora Maria Luana de Oliveira Diogo, de 34 anos, será enterrado, às 10h desta quinta-feira, no Cemitério Parque da Paz, em São Gonçalo. Já o velório está previsto para começar às 19h desta quarta. A vítima foi encontrada morta em casa, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio.

Nesta terça-feira, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) decretou a prisão preventiva do irmão de Maria Luana, Pedro Luiz de Oliveira Diogo, 24 anos. O DIA apurou que ele foi preso em flagrante em uma casa da família que está vazia no Lins de Vasconcelos, na Zona Norte, com ferimentos de unha no corpo e com o celular da irmã.

De acordo com a decisão do juiz Guilherme Schilling, da Central de Custódia, a prisão em flagrante foi convertida em preventiva como forma de proteger os dois filhos de Maria Luana.

"Deve-se frisar que a vítima tinha dois filhos menores que também moravam naquela casa. Desconhecendo-se o verdadeiro propósito e caso confirmada a autoria, existe dúvida se a soltura prematura do custodiado seja capaz de colocar em risco aquelas crianças", disse o magistrado.

Pedro Luiz responderá pelo crime de homicídio, com pena privativa de liberdade máxima superior a quatro anos. Em depoimento, ele disse que a irmã foi "eliminada" porque era "impura" e que sabia quem a matou, mas não falaria.

Pedro Diogo morava com a irmã na casa de Laranjeiras e sumiu do local, além de tentar simular de todas as formas que não tinha cometido o crime. "Uma prima disse que até pouco tempo ele tinha foto no perfil dele no Facebook. Verificamos e ele apagou a foto. Depois descobrimos uma conversa que ele teve com outro perfil, que na verdade era um perfil fake dele mesmo. A conversa ocorreu antes mesmo dos bombeiros serem chamados", disse Ortiz.


Últimas de Rio De Janeiro