Corte de verba ameaça cerca de 3,6 mil bolsistas da UFRJ

Segundo a Pró-Reitoria da universidade pública, orçamento só cobrirá pagamentos até setembro

Por O Dia

Rio - Com um iminente corte no orçamento, cerca de 3,6 mil bolsistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) poderão perder a ajuda financeira paga pelo Governo. Segundo a Pró-Reitoria da universidade, caso o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) não descontigencie o repasse, em setembro, todas as pesquisas e estudos serão paralisadas por falta de verba.

Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi eleito%2C em 2013%2C o melhor do BrasilDivulgação / UFRJ

Em nota, a UFRJ informa que as áreas mais impactadas seriam produtividade em pesquisa (930 bolsas), doutorado (837), graduação (aproximadamente 700) e mestrado (562). Segundo a Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR-2) da UFRJ, "projetos e pesquisas de alta relevância e benefícios para a sociedade brasileira devem ser afetados, em todas as áreas do conhecimento".

Com palavras fortes, o próprio presidente do CNPq, Mario Neto Borges, conta que “acabou o dinheiro” para o programa. O CNPq é vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. O órgão é responsável pela concessão de 50% das bolsas de Iniciação Científica (IC) e Iniciação Tecnológica (IT) na UFRJ. 

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) — órgão que visa apoiar a política de Iniciação Científica desenvolvida nas Instituições de Ensino —, realizou uma reunião na última quarta-feira e emitiu comunicado sobre o corte. " A PIBIC vem a público expressar indignação com as notícias veiculadas em relação aos cortes no orçamento do CNPq e à suspensão do pagamento de bolsas de estudo", diz a nota. 


Últimas de Rio De Janeiro