Polícia procura irmãos que aplicam o golpe 'Boa Noite Cinderela'

Eles são integrantes de uma quadrilha especializada na prática do crime

Por O Dia

Rio - O Portal dos Procurados divulgou, nesta sexta-feira, cartaz com recompensa de R$ 1 mil reais por informações que levem às prisões dos irmãos Marcos de Carvalho Justo, de 35 anos, conhecido como Águia, e Marcio de Carvalho Justo, de 37, o Bodão. Eles são acusados de integrar uma quadrilha especializada em aplicar o golpe 'Boa Noite Cinderela', em diversas vítimas no Rio.

Após investigações da 13ª DP (Ipanema), os agentes identificaram os dois irmãos como integrantes do bando. Eles atuam na Zona Sul da cidade, principalmente em bares de Botafogo, Gávea, Ipanema e de Copacabana, e também no Centro do Rio.

Suspeitos são procurados por aplicar 'Boa Noite Cinderela'Divulgação

Em 2010, Marcos Justo chegou a ser preso pela 13ª DP, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense. Quando foi capturado, Marcos revelou que chegou a ganhar até R$ 10 mil com os golpes. "Abordo as pessoas no bar. Começamos a conversar e a beber, mas eu finjo que bebo. Misturo todos os tipos de bebida e vou para a casa do cliente. Lá, continuamos a beber e a namorar até a pessoa apagar, mas não coloco comprimidos nos copos. Depois, pego dinheiro e objetos como relógios e joias, e vendo. Geralmente, os clientes não querem pagar o que a gente cobra pelo programa. Dependendo do que eu ganhava, ficava uns três meses sem dar golpes", disse.

Ele está foragido desde maio de 2011, quando cumpria sua pena no sistema aberto. Marcos tem 21 mandados de prisão por roubo e 18 passagens por roubo, extorsão, roubo a pedestre, roubo à residência e lesão corporal. Contra seu irmão Marcio constam dois mandados de prisão pelas 17ª e 36ª Vara Criminal, pelo mesmo crime, e três anotações por roubo.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do acusado citados, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram dos Procurados (21) 98849-6099; pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, pelo facebook/(inbox), endereço: https://www. facebook.com/procurados.org/, ou pelo aplicativo do DD. Em todos os canais de denúncias, o anonimato é garantido. 

Últimas de Rio De Janeiro