Mais Lidas

Corpo de Luiz Melodia é enterrado no Catumbi

Artista morreu na sexta-feira, aos 66 anos, vítima de um câncer de medula óssea. Além de amigos e parentes, artistas como Zezé Motta e Regina Casé compareceram ao enterro

Por cadu.bruno

Rio - Em um caixão coberto com uma bandeira da escola de samba Estácio de Sá, o corpo de Luiz Melodia chegou ao Cemitério do Catumbi, no Rio de Janeiro, neste sábado, às 10h. O cantor e compositor morreu na sexta-feira, 4, aos 66 anos, devido a complicações de um câncer que atacou sua medula óssea.

Corpo do cantor foi enterrado no CachambiDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Desde julho do ano passado, o artista tratava de uma doença autoimune e chegou a passar por um transplante de medula óssea. O músico carioca estava internado no hospital Quinta d'Or. O corpo foi velado na quadra da escola de samba Estácio de Sá, na Cidade Nova, próximo ao morro onde ele nasceu, na área central do Rio.

Familiares, amigos famosos e anônimos compareceram ao velório. Além de uma obra grandiosa, Luiz Melodia deixa a esposa, a também cantora e compositora Jane Reis, e dois filhos, Mahal e Hiran.

Trajetória

Luiz Carlos dos Santos, o Luiz Melodia, nasceu no dia 7 de janeiro de 1951, no bairro do Estácio, no Rio. Ainda menino, Luiz descobriu a música em casa vendo seu pai, o compositor Oswaldo Melodia, tocar para a família.

Nos anos 60, o compositor se juntou com amigos e formou o grupo ‘Instantâneos’, que tocava sucessos da Jovem Guarda e da Bossa Nova. A convivência nos morros cariocas fez com que o cantor também tivesse forte ligação com o samba. Ao longo dos anos, essa mescla se mostrou o diferencial de Luiz, que em pouco tempo chamou a atenção dos poetas Wally Salomão e Torquato Neto, frequentadores assíduos do morro do Estácio.

Através de Wally, Melodia conheceu a cantora Gal Costa e acabou se tornando um de seus compositores preferidos. Em 1972, Gal gravou a canção “Pérola Negra”, apresentando o compositor ao grande público. No ano seguinte, foi a vez de Maria Bethânia dar voz a uma composição do músico, lançando a faixa “Estácio Holly Estácio”.

Adotando o nome artístico do pai, em 1973, Luiz Melodia lança o disco “Pérola Negra”, álbum aclamado pela crítica e que, até hoje, é reconhecido como seu maior trabalho. Nos anos seguintes, Luiz se consolidou como um dos grandes artistas do Brasil, lançando diversos álbuns e realizando shows na França e Suíça.

Seu último disco, "Zerima", foi lançado em 2014, após 13 anos sem lançamentos oficiais.

Com informações do Estadão Conteúdo

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia