Turista baleada em Angra se recusa a prestar depoimento

Ela passou por cirurgia e já está em condições de saúde para depor, mas tem medo de contar oficialmente o que aconteceu

Por O Dia

Rio - A turista inglesa Eloise Dixon, 46, que foi baleada ao entrar por engano na favela de Água Santa, em Angra dos Reis, se recusou a prestar depoimento sobre o caso. De acordo com o delegado Bruno Gilaberte, da 166ª DP, ela já está em condições de saúde para depor, mas tem medo de contar oficialmente o ocorrido.

Turista Eloise Dixon foi baleadaReprodução

Ela passou por uma cirurgia após ser atingida por dois tiros no abdômen na tarde deste domingo. De acordo com a direção do Hospital Geral da Japuiba, a operação "foi um sucesso" e a mulher deve receber alta até quinta-feira. 

Eloise estava com o marido e os três filhos (o mais velho de 4 anos), na estrada Rio-Santos, na altura de Angra dos Reis, quando pediram informações para saber onde se comprava água. Por conta da dificuldade do idioma, eles teriam sido direcionados para a comunidade de Água Santa, onde há traficantes da facção Terceiro Comando Puro.

Na entrada da favela, dois homens armados teriam mandado o carro, um Renault Fluence alugado, retornar. Ainda pela dificuldade do idioma, o condutor não teria entendido e prosseguiu, sendo os disparos realizados.

"Temos que conversar com as vítimas ainda, mas teria sido isso. Eles pararam o carro e pediram informação sobre onde poderiam comprar água. Ou a família entendeu que era na Água Santa que eles poderiam comprar ou o interlocutor entendeu que era para essa comunidade que eles gostariam de ir e os direcionou", disse ao DIA o delegado.

?Com informações de Estadão Conteúdo


Últimas de Rio De Janeiro