Alunos são transferidos para hotel após incêndio em alojamento da UFRJ

Ala B foi atingida pelas chamas na última quarta-feira. Entre os feridos, um sofreu uma fratura na perna e foi hospitalizado

Por O Dia

Rio - Estudantes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que moravam em alojamento atingido por um incêndio serão transferidos para o Hotel Ibis, no Centro do Rio, ainda nesta terça-feira. A ala B masculina do prédio foi atingida pelas chamas na última quarta-feira. Na ocasião, quatro pessoas ficaram feridas. Entre elas, três inalaram fumaça e foram atendidas no local, e outra vítima sofreu uma fratura na perna e foi socorrida em um hospital da região.

Testemunhas contaram que houve pânico e correria no momento do incêndio. No entanto, a universidade nega esta informação. Estudante de Enfermagem, Ana Carolina Gonçalves, de 26 anos, contou que as chamas começaram no segundo andar do bloco B, mais conhecido como 'ocupação' entre os alunos.

Incêndio atingiu alojamento da UFRJSeverino Silva / Agência O Dia

"Quando acordei, o incêndio já havia começado. Escutei o pessoal gritando 'fogo, fogo'. Saí correndo, peguei o básico, o que dava para salvar. Pelo menos 400 estudantes moram no alojamento, mas hoje havia apenas uns cem, porque as aulas começaram na segunda e nem todos retornaram", explicou Ana Carolina, que mora no alojamento desde fevereiro.

A jovem reclamou ainda das condições do alojamento, que, segundo ela, não foi reformado. "Aqui está horrível, não temos condições para morar. Não concluíram o novo alojamento e não deram explicação", completou. 

Naquele dia, a UFRJ informou que as causas do incêndio serão investigadas pelas autoridades competentes, com acompanhamento da Superintendência-Geral de Políticas Estudantis (SuperEst) e da prefeitura da universidade. A instituição contou que o foco das chamas teria sido detectado no primeiro andar, em um dos quartos, e depois o fogo se alastrou para outros oito apartamentos. De acordo com a faculdade, a energia elétrica do prédio foi desligada após orientação do Corpo de Bombeiros. 

Últimas de Rio De Janeiro