Padre Marcelo Rossi diz lutar contra ‘forças diabólicas’

Acusado de plágio, padre usou rede social para se pronunciar

Por O Dia

Ronaldo com seu livro de 2001Divulgação

Rio - Acusado de plagiar o conto ‘O homem e a água’ — registrado em 1999, no Escritório de Direitos Autorais, pelo carioca Ronaldo Siqueira da Silva, 57 anos, o padre Marcelo Rossi não se manifestou oficialmente. Mas usou o Facebook para desabafar contra o que chamou de “forças diabólicas”, que estariam contra ele. Ele publicou o texto em seu livro ‘Momento de Fé’, em 2004, conforme O DIA publicou na última terça.

“O mundo inteiro me atacando (nas redes sociais), mas Jesus é vencedor”, postou. Ele afirmou também que seus críticos são “marionetes do demônio”. Ronaldo, que publicou o conto em 2001 no livro ‘O Eremita Urbano’ e perdeu prazo de contestação judicial, passou o dia recebendo apoio. “Minha reputação está sendo passada a limpo”, disse.

Internautas discutiram asperamente. “Ronaldo deveria se sentir orgulhoso de ter sua obra usada por padre”, opinou internauta . “Então, os banqueiros deveriam se orgulhar de ter bancos assaltados por profissionais?”, rebateu outro. 


Últimas de Rio De Janeiro