Homem morre e outro é baleado durante operação policial no Jacarezinho

Segundo a polícia, os dois homens são traficantes. Essa é o sétimo dia de operação na comunidade da Zona Norte do Rio

Por O Dia

Homem é ferido durante sétimo dia de confronto no Jacarezinho. Segundo a polícia, homem seria traficante WhatsApp O DIA (98762-8248)

Rio - Um homem morreu e outro foi baleado no Jacarezinho, na Zona Norte, na tarde desta quinta-feira, durante o sétimo dia de operação na comunidade. O homem morto ainda não teve a identidade revelada. Já o baleado foi identificado como Moisés Martins Alves, de 28 anos. 

Segundo a polícia, Moisés foi ferido durante confronto com policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) na rua da Feira. Inicialmente ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Manguinhos e depois foi transferido para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. 

No momento em que deu entrada no hospital, Moisés disse que era pedreiro. Entretanto a polícia afirma que ele possui anotações criminais por tráfico e associação para o tráfico de drogas e foi preso em flagrante pelos mesmos crimes, além de responder por receptação de veículo roubado. 

Ainda de acordo com a polícia, os agentes arrecadaram áudios captados por rádios comunicadores, onde criminosos alertam aos demais traficantes que Moisés e outro homem foram atingidos durante o confronto. Os dois estariam em cima de uma laje atirando contra a polícia. 

Violência sem fim no Jacarezinho

Em sete dias de confontro entre policiais e traficantes no Jacarezinho, quatro pessoas morreram e três foram baleadas, além de um cachorro que também foi ferido. Entre as vítimas estão o policial da Core, Bruno Guimarães Buhler; o mototaxista, André Luis Medeiros; o verdureiro, Sebastião Sabino da Silva; e o homem morto nesta quinta. Já entre os baleados estão uma mulher de 30 anos, um adolescente e Moisés Martins Alves. 

De acordo com a polícia, a operação de hoje tem o objetivo de prender os suspeitos de matarem Bruno. Conhecido como Xingu, o inspetor policial Bruno Guimarães Buhler era considerado um dos maiores atiradores de elite da Polícia Civil, onde estava há sete anos. Ele entrou para a Core em 2014.

Traficantes envolvidos em morte de policial são identificados

A Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) identificou, nesta quinta-feira, os quatro suspeitos de envolvimento na morte do policial civil da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) Bruno Guimarães Buhler. Os traficantes foram identificados como Jonathan Luis da Silva, o Joinha; Jefferson Gonçalves da Silva, o Cara de Cavalo; Wellington de Sousa Macedo, o Caolha ou Cara de Gato; e Carlos André da Conceição, o Mãozinha ou Bracinho. 

Quem tiver informações sobre o grupo pode entrar em contato com o Disque-Denúncia (2253-1177) ou com a Central de Atendimento ao Cidadão (2234-8823 / 2234-8835). 

Jonathan Luis da Silva, o Joinha; Jefferson Gonçalves da Silva, o Cara de Cavalo; Wellington de Sousa Macedo, o Caolha ou Cara de Gato; e Carlos André da Conceição, o Mãozinha ou BracinhoDivulgação




Últimas de Rio De Janeiro