Crivella sanciona projeto de Fundo Especial de Ordem Pública

Prefeito fez anúncio durante cerimônia no Palácio da Cidade na manhã desta sexta-feira

Por O Dia

Rio - O prefeito Marcelo Crivella sancionou nesta sexta-feira, em uma cerimônia no Palácio da Cidade, um projeto aprovado pela Câmara de Vereadores que cria um o Fundo Especial de Ordem Pública (Feop). O fundo prevê a modernização e capacitação da Guarda Municipal, que vai utilizar recursos financeiros oriundos de multas aplicadas pela GM. De acordo com a Prefeitura, 30% da receita arrecada com multas de trânsito, e 50% das receitas de demais multas, como poluição sonora, serão destinadas ao fundo.

Crivella anunciou sanção de projeto que cria fundo de investimentos que irá auxiliar a Guarda Municipal na manhã desta sextaDivulgação

Segundo o prefeito, o objetivo da criação da Feop é auxiliar as operações que a Guarda Municipal vai realizar contra comércios e ambulantes na cidade, além de auxiliar na segurança pública para evitar que cargas sejam roubadas e vendidas por meio de ambulantes irregulares nas ruas da cidades. Algumas destas ações já foram realizadas na Tijuca e Copacabana.

"Neste momento de desemprego, com a queda de investimentos e arrecadação, é claro que as ruas podem ser invadidas por pessoas que tentam vender suas coisas pra sobreviver. Essas coisas não são simples. Nesses momentos se atrai uma falta de organização para umas pessoas q não estão nessa situação. E com isso podem surgir vendedores de produtos roubada.", disse Crivella, acrescentando que o fundo também irá receber doações de empresários, além de 100 motocicletas novas e equipadas.

Presente na cerimônia, o secretário Municipal de Ordem Pública, Paulo Amendola, ressaltou que os esquemas de roubo de cargas receberão uma atenção especial das operações da Guarda Municipal: "Vamos atuar em cima desse sistema, no depósito de mercadorias ilegais. Sem arma nas mãos, vamos dar uma colaboração ao estado. Vamos mostrar aos bandidos que não adianta roubar porque não vai ter ninguém para comprar", disse Amendola.

O Diário Oficial desta sexta-feira também publicou uma lei que dá à GM a missão de patrulhamento urbano, além da função primária de proteção do patrimônio público. Segundo Amendola, a Guarda irá substituir a Polícia Militar na fiscalização da Lei do Silêncio, que prevê multa de R$ 5 mil para pessoas jurídicas e de R$ 500 para pessoas físicas.

Últimas de Rio De Janeiro