Informe: desperdício à luz do dia

Situação financeira do governo estadual é calamitosa, mas, mesmo assim, pequenas práticas que poderiam gerar economia são ignoradas

Por O Dia

Rio - A situação financeira do governo estadual é calamitosa, mas, mesmo assim, pequenas práticas que poderiam gerar economia são ignoradas. Acima, a imensa Biblioteca Parque, no Centro. Apesar de o prédio de 15 mil metros quadrados estar desativado desde dezembro por conta da crise, luzes nos dois andares ficam acesas 24 horas por dia — mesmo de manhã e de tarde, quando a luz do sol entra pelos vidros e dispensa a necessidade de energia elétrica. A foto que ilustra o texto foi tirada às 13h, por uma das vidraças.

Foto foi tirada às 13h por uma das vidraçasPaulo Capelli / Agência O Dia

A Secretaria de Cultura diz que, como as câmeras de segurança não contam com infravermelho, é preciso manter “um mínimo de luzes acesas” para que seja possível filmar e identificar as imagens. E que, como o prédio está fechado, não há ninguém para apagar as luzes durante o dia.

Que tal?

Se a conta de luz de um apartamento já está pra lá de salgada, imagina a de um espaço assim. A coluna se pergunta se não valeria a pena a secretaria escalar alguém para ir ao edifício às 7h apagar a luz e outro às 18h para acender. Afinal, não se trata só de dinheiro, mas de sustentabilidade.

Dívida milionária

O Informe também ficou na dúvida se o governo seria sócio da Light, mas aí se lembrou que a concessionária de energia elétrica cobrou do Palácio Guanabara, em março, dívida de R$ 120 milhões.

Dá samba?

Para convencer blocos de Carnaval que desfilam na Barra e em São Conrado a migrarem para o Parque dos Atletas no ano que vem, a prefeitura estuda permitir que os blocos fiquem com parte da receita com venda de bebidas.

A punição é maior

Sabe a idosa agredida em Nova Iguaçu por ser adepta do candomblé? O secretário estadual de Direitos Humanos, Átila A. Nunes, foi com ela à delegacia em que o caso fora registrado. Alterou a ocorrência de lesão corporal simples para lesão corporal grave acrescida de injúria por preconceito.

Últimas de Rio De Janeiro