PM que atropelou ciclista respondia a seis processos no Detran

Suspeito estava com a Habilitação bloqueada. Nesta segunda-feira, policial foi preso administrativamente no 31º BPM

Por O Dia

Rio - O motorista que atropelou e matou o ciclista Hélio Crespo, 40, na Praia da Reserva, no sábado, foi identificado como Marcelo Soares da Silva, sargento lotado no 31º BPM (Recreio). Ontem, ele foi preso administrativamente no batalhão. Com 99 multas nos últimos cinco anos e 471 pontos na carteira, o policial estava com a habilitação bloqueada desde novembro e licenciamento atrasado há dois anos. Segundo as investigações, ele sequer pisou no freio para evitar o acidente e fugiu sem prestar socorro. 

O Corolla do soldado PM Marcelo Soares da Silva mostra marcas do atropelamento do empresário Hélio Brum Crespo%2C que passeava de bicicleta na Praia da Reserva%2C no RecreioFoto%3A Estefan Radovicz

A delegada assistente da 16ª DP (Barra da Tijuca), Isabelle Conti, constatou que o suspeito não tentou impedir o acidente, porque não foram localizadas marcas de frenagem no chão. Ela informou que Silva não se apresentou espontaneamente à delegacia. O Corolla preto que o PM dirigia foi localizado por policiais na porta da casa dele, em Vargem Pequena, no domingo à noite.

“Ele só saiu quando ouviu o barulho do reboque”, contou a delegada. O suspeito foi indiciado por homicídio culposo (sem intenção). A Polícia Civil vai investigar se o policial estava sob efeito de drogas ou álcool, o que o faria responder por homicídio doloso. O motorista ficou em silêncio durante o depoimento e foi liberado, pois não houve flagrante.

Na perícia feita ontem, policiais localizaram pedaços da bicicleta entre as rodas e o para-lama do veículo. Uma nova perícia será realizada hoje. A polícia já sabe que o sargento dirigia entre 100 e 120 km/h. O limite permitido no local é 60 km/h. A família convocará manifestação na Barra, sábado, às 8h.

Segundo o Detran, Marcelo acumulava seis processos administrativos— em fase de instauração e penalidade— de suspensão do direito de dirigir. O órgão vai entrar com a cassação da CNH em 72 horas, prazo para a polícia confirmar as informações do acidente.

Últimas de Rio De Janeiro