'Ele não teria morrido se tivesse equipamento de segurança', diz mãe de escultor

Jovem morreu eletrocutado dentro do barracão da São Clemente. Família foi ao IML nesta sexta-feira

Por O Dia

Igor Sérgio da Silva de Farias morreu eletrocutado no barracão da São ClementeReprodução Facebook

Rio - Emocionada, a mãe do escultor Igor Sérgio da Silva de Farias lamentou a morte do filho, enquanto esperava a liberação do corpo no Instituto Médico Legal (IML), na manhã desta sexta-feira. O jovem, de 21 anos, morreu eletrocutado dentro do barracão da São Clemente, na Cidade do Samba, na noite desta quinta. Liane Gonçalves, 52 anos, reclamou da falta de equipamentos de segurança no local e disse que a escola foi negligente. 

"Se tivesse uma ambulância no local ou equipamento de segurança, meu filho não teria morrido. Ele trabalhava das 8h às 22h e sem carteira assinada. Não disponibilizavam nem uma luva para proteger", destacou a mãe, que soube do caso por meio de um amigo de Igor que também trabalhava no barracão. "Inicialmente, ele disse que foi um acidente. Mas, quando cheguei lá, já o encontrei morto", completou.

Segundo Liane, o filho trabalhava desde os 15 anos e sonhava ser um escultor profissional. Em maio, o jovem viajou para Santa Catarina para ajudar no Carnaval de uma agremiação local. Ele retornou para a São Clemente neste ano. Igor tinha uma noiva e, de acordo com a mãe, sonhava em casar.

"Tem que ter um limite, não tem como a pessoa trabalhar até 22h, é muito puxado. Meu filho já havia reclamado que a pressão era muito grande, que ele vivia estressado e estava com o corpo muito cansado. A morte dele não vai ficar impune", afirmou Liane, que prometeu acionar a Justiça contra a São Clemente.

Ela lembrou que o filho era um rapaz calmo e se dava bem com todo mundo. "Ele gostava de ajudar as pessoas. A vida dele era sair para trabalhar e voltar para casa. Nunca se envolveu com nada de errado e não consumia bebida alcoólica. Ele era meu amigão. Meu filho nunca me abandonou", destacou.

Procurada, a escola disse que não vai comentar as acusações da mãe. O presidente da agremiação, Renato Almeida Gomes, destacou que dará assistência à família. A São Clemente decretou três dias de luto. Por meio do Facebook, a escola anunciou que a semifinal da escolha de samba-enredo, que seria realizada neste sábado na quadra, foi transferida para a próxima terça-feira.

Últimas de Rio De Janeiro