Corpo de Rogéria é velado no Teatro João Caetano nesta terça-feira

Público poderá entrar no local das 13h às 18h. Atriz será enterrada na cidade onde nasceu, na Região Serrana, nesta quarta

Por O Dia

Rio - O corpo de Rogéria é velado nesta terça-feira, no Teatro João Caetano, no Centro. O velório no primeiro momento foi aberto apenas para parentes e amigos. Das 13h às 18h, o público poderá entrar no local. Já o enterro da atriz será nesta quarta-feira, em Cantagalo, na Região Serrana, onde ela nasceu.

Rogéria morreu na noite desta segundaReprodução Internet


O empresário e amigo, Alexandre Haddad, acredita que a atriz descansou. "Nos últimos dias ela estava sofrendo muito", comenta. No entanto, o produtor de Rogéria acreditava que ela iria se recupar. "Nós, os amigos, tínhamos esperança de que ela iria sair dessa. Eu a amava demais, a gente conviveu por mais de 15 anos", lamenta Alexandre.

Já a atriz Jane di Castro lembrou de quando as duas se conheceram. "Ela era minha irmã. Quando nos conhecemos morávamos em Cascadura, no subúrbio, e tínhamos 16 anos. Nem sonhávamos em ser artistas. Então, nos tornamos uma família e nunca mais nos separamos e acabamos todas, daquela época, no palco", recorda. "Hoje, os holofotes se apagam", conclui Jane.

Leandra Leal que fez o documentário "Divinas divas", que conta com a participação de Rogéria, diz ser grata por ter conhecido a atriz. "Ela sempre esteve na minha vida. Não lembro quando ela entrou de fato. Ela foi a essência para a minha formação. Ela abriu portas para uma geração inteira. É muito duro perder uma pessoa como ela", afirma a artista.

"Até o último dia estivemos juntas. Todas as quartas-feiras eu ia até a casa dela para limpar. Rogéria era uma pessoa de gostos simples e amava a vida. É uma grande perda para todos", comenta Elaine Joana, diarista e amiga de Rogéria por mais de 30 anos.

Rogéria morreu, na noite desta segunda, vítima de choque séptico. Ela estava internada na UTI do Hospital da Unimed-Rio, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, desde 8 de agosto, após ser diagnosticada com uma infecção urinária. A artista chegou a ter alta no dia 25, mas voltou para para unidade por apresentar uma piora no quadro.

Na sexta-feira, o produtor e empresário da artista, Alexandro Haddad, falou ao programa “A Casa é Sua”, da Rede TV, sobre o estado de saúde delicado dela. "Ela estava bem até o início da tarde. Mas, por volta das 14h30, a médica nos chamou para informar que Rogéria teve uma convulsão e está com infecção generalizada. Estou sem chão! Queria repassar para as pessoas que ela estava bem, melhorando. Mas hoje ela piorou", relatou ele na ocasião.

Nascida como Astolfo Barroso Pinto, em Cantagalo, Rogéria se autointitulava “travesti da família brasileira” e era uma das transformistas mais antigas em atividade no Brasil. A atriz passou a usar roupas e maquiagens femininas na adolescência, mas disse que nunca teve vontade de realizar a cirurgia de redesignação sexual. Começou a carreira como maquiadora, trabalhando com artistas como Fernanda Montenegro, Bibi Ferreira e Elis Regina. Também foi cantora e tornou-se vedete de Carlos Machado.

Últimas de Rio De Janeiro