Lava Jato investiga compra de voto para escolha do Rio como sede dos Jogos

Presidente do COB e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman é intimado a depor nesta terça-feira

Por O Dia

Rio - A Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) cumprem, na manhã desta terça-feira, mandados contra suspeitos de comprar o voto para a escolha do Rio como a cidade sede da Olimpíada de 2016. Denominada de 'Unfair Play', a ação é um desdobramento da Lava Jato e tem o objetivo de cumprir dois mandados de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão.

PF realiza desdobramento da Lava Jato na manhã desta terça%2C no RioReprodução TV Globo

Ainda nesta terça, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, será intimado a depor na sede da PF. Os agentes cumpriram mandados de busca na casa dele no início desta manhã.

De acordo com as investigações, Nuzman teria participado da compra de votos dos integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI) para os Jogos. Além disso, os agentes apontam que ele seria o responsável por interligar corruptos e corruptores.

As investigações surgiram após uma denúncia do jornal francês "Le Monde", em março. Segundo a publicação, houve pagamento de propina para dirigentes do COI três dias antes da escolha da sede do evento. Desde então, o Ministério Público das Finanças da França apura o caso e trabalha com o MPF brasileiro sob um acordo de cooperação. Agentes franceses também foram à casa de Nuzman, no Leblon, nesta terça.

Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio. Os de prisão preventiva são contra Arthur César de Menezes Soares Filho, o Rei Arthur, e Eliane Pereira Cavalcante, a ex-sócia dele na Facility (fornecedora do estado).

Últimas de Rio De Janeiro