Rio-2016: Investigações apontam que ex-secretário de Paes disse ter pago propina

Ruy Cezar Miranda Reis, secretário destacado para cuidar dos Jogos, pagou a a membros africanos do Comitê Olímpico Internacional (COI) para a escolha da sede

Por O Dia

Rio - As investigações do Ministério Público Federal (MPF) em conjunto com o Ministério Público da França apontam que Ruy Cezar Miranda Reis, ex-secretário do então prefeito Eduardo Paes, disse ter pago propina em troca de votos para que a Olimpíada de 2016 acontecesse no Rio. 

De acordo com os procuradores, Eric Walther Maleson, ex-presidente da Confederação de Desportos no Gelo, revelou que Ruy Cezar Miranda Reis disse ter pagado a membros africanos do Comitê Olímpico Internacional (COI) para a escolha da sede.

Segundo o MPF, Eric Maleson informou às autoridades brasileiras, em julho de 2009, por meio de carta rogatória, que o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, e Ruy Cezar, foram à Nigéria para apresentar o Rio aos países africanos. Mais tarde, o ex-secretário de Paes contou a Eric que pagou uma quantia para se certificar de que os países africanos votassem no Rio. 

Fraude nas Olimpíadas%3A trecho da decisão do juiz mostra que disse ter pago propinaReprodução

Operação Unfair Play

O Ministério Público Federal (MPF) descobriu provas de que o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, o empresário Arthur César de Menezes Soares Filho, conhecido como "Rei Arthur", e o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB) realizaram diversas viagens juntos para o exterior para supostas articulações para a compra de votos para a escolha do Rio como sede da Olimpíada de 2016. O grupo fez pelo menos 15 viagens juntos para os Estados Unidos e Europa, principalmente para a França, entre fevereiro a outubro de 2009, mês que ocorreu a eleição.

Em depoimento para o MPF, durante a Operação Eficiência, Cabral havia admitido as viagens com Nuzman, mas omitiu o nome de Rei Arthur. O MPF desconfia que estas viagens tenham sido feitas para articular a compra de votos de delegados africanos do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Contra Rei Arthur, ele e sua sócia há dois mandados de prisão por lavar dinheiro para o esquema, por meio de offshores nas Ilhas Virgens Britânicas e em contas nos Estados Unidos.

Já Nuzman terá que depor às 15 horas desta terça-feira, na Polícia Federal, na operação intitulada como "Unfair Play". A ação tem como objetivo desmantelar um esquema criminoso envolvendo o pagamento de propina em troca da contratação de empresas terceirizadas por parte do governo do Rio de Janeiro. Esta nova fase da Lava Jato no Rio, conta com apoio de autoridades francesas.

Foram expedidos mandados de busca e apreensão nas casas dos evolvidos, na sede do COB, do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos 2016 e nas empresas AS Patrimonial, Pulse Participações, Laborvida Laboratórios Farmacêuticos, LHS Barra Empreendimentos Imobiliários, Grupo Prol S.A., NZ Palestras, Conferências e Estuados Eireli. Além disso, o MPF pediu o bloqueio de até R$ 1 bilhão do patrimônio dos envolvidos, incluindo apartamentos em área nobre do Rio de Janeiro, carros de luxo e aeronaves.

Últimas de Rio De Janeiro