Informe: a suada vitória de Crivella

Reajuste do IPTU: para formar maioria, o governo aceitou emendas para suavizar o projeto e promoverá trocas no primeiro escalão

Por O Dia

Rio - Marcelo Crivella (PRB) venceu sua grande prova de fogo na Câmara Municipal. Não foi fácil. Ontem à tarde, no momento mais crítico, o prefeito contabilizava apenas 23 votos pelo reajuste do IPTU — dos 26 necessários. O PMDB, que votou em peso com o governo, bateu o martelo momentos antes de a sessão começar, com a garantia de que emendas seriam aprovadas e de que a Subsecretaria de Esportes ficará com o partido. Crivella obteve 31 votos favoráveis e 18 contrários.

Outra mudança ocorrerá na Secretaria de Assistência Social. O deputado estadual Pedro Fernandes (PMDB) comandará a pasta após a saída de Teresa Bergher (PSDB). Ex-aliada de Crivella, a tucana retornou ontem à Câmara e, como sinalizado, votou contra o aumento.

Impacto: R$ 70 milhões
A vereadora Rosa Fernandes (PMDB), mãe de Pedro Fernandes, foi autora da mais polêmica emenda aprovada, criticada por alguns parlamentares da base por alterar consideravelmente a arrecadação. Rosa conseguiu isenção de IPTU para imóveis de até R$ 55 mil em valor venal, o que beneficiou boa parte de moradores da Zona Norte.

Abracadabra

Na véspera da 1ª votação, o Informe disse que o governo tinha entre 29 e 33 votos favoráveis. Teve 32. Ontem, cravou que tinha 29 ou 30. Foram 30.

Ps: Inicialmente, o voto de Professor Adalmir (PSDB) fora computado no painel eletrônico como contrário ao projeto, mas, depois, alterado para o lado do governo, somando 31 votos. O parlamentar diz que a confusão ocorreu por conta de um problema técnico no painel. De fato, o voto de Adalmir foi registrado como favorável ao reajuste do IPTU.

Placar da votação antes da mudança de voto de Professor Adalmir (PSDB)Divulgação

Partido do prefeito
A caminho do governo, Pedro foi convidado para migrar para o PRB. Mas já tem governista reclamando: “Clarissa Garotinho (Trabalho e Renda), Rubens Teixeira (Conservação e Meio Ambiente) e, agora, o Pedro? Para ter secretaria boa tem que ser do PRB?”.

De olho em 2018
Os três serão candidatos.

Recuperação Fiscal
O governador Pezão (PMDB) terá uma reunião hoje com o ministro Meirelles (Fazenda), no Palácio Guanabara, para obter detalhes sobre as datas em que poderá quitar décimo terceiro e gratificações de servidores.

Foco na Baixada
Sanadas as dívidas, Pezão diz que a prioridade será tocar obras que estavam paralisadas. “A maioria está na Baixada e foi interrompida com 70%, 80% dos trabalhos feitos. São obras de saneamento, de distribuição de água. Quero lançar a Parceria Público-Privada de esgoto da Baixada. E tocar os apartamentos (do Programa Minha Casa, Minha Vida) do Jacarezinho e do Alemão.”

Primeiro passo
Relator do projeto de recuperação na Câmara, Pedro Paulo Carvalho(PMDB-RJ) comemora: “Serão três anos duros, mas o estado sai da pré-falência para poder voltar a investir. Agora é fazer o dever de casa.”

Últimas de Rio De Janeiro