Sírio agredido em Copacabana receberá título de cidadão fluminense na quarta

Mohamed Ali Kenawy foi insultado e teve suas mercadorias jogadas no chão durante um ataque xenofóbico

Por O Dia

Rio - O migrante sírio Mohamed Ali Kenawy, que sofreu um ataque xenofóbico em Copacabana, receberá o título de cidadão fluminense, no Palácio Tiradentes, na quarta-feira. A cerimônia tem a presença confirmada de diversos deputados estaduais, dois refugiados, sendo um venezuelano e outro africano, Cáritas, Conselho Nacional e Estadual de Refugiados, professores universitários, migrantes, além do presidente da Portela, Luís Carlos Magalhães, que trata sobre o tema no enredo de 2018 da atual campeã do carnaval carioca.

Deputado estadual Wanderson Nogueira e o refugiado sírio Mohamed Ali KenawyDivulgação

A homenagem acontece após o deputado estadual Wanderson Nogueira (PSOL-RJ) entrar com um pedido na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Mohamed mora no Brasil há cerca de três anos e vende esfihas em Copacabana, na Zona Sul, onde foi insultado e teve suas mercadorias jogadas no chão. Mesmo diante da agressão, o sírio disse amar este país e não querer problemas, por isso não prestou queixa na delegacia e se manifestou de forma pacífica pessoalmente e nas redes sociais.

“A mensagem de paz, amor, solidariedade e não ao preconceito, chegou no mundo todo. Precisamos que esse dia seja ótimo pra todos! Tenho muitos sentimentos em mim. Não tenho palavras que expressem o quanto estou feliz de estar no Brasil, cercado de pessoas tão especiais ! Amo vocês!!”, disse Mohamed na Web sobre a homenagem que receberá.

Atualmente, cerca de 9 mil refugiados de 79 diferentes nacionalidades vivem no Brasil, desde que a legislação brasileira reconhece aos refugiados o direito ao trabalho, à educação, à saúde e à mobilidade no território nacional, entre outros direitos, permitindo assim, que reconstruam suas vidas no país. 


Últimas de Rio De Janeiro