Padre Omar: dar o primeiro passo

Quando as vítimas vencem a tentação compreensível da vingança, tornam-se protagonistas da construção da paz

Por O Dia

Rio - Na semana passada, por cinco dias o Papa Francisco esteve na Colômbia, como peregrino da paz. O tema da visita foi 'façamos o primeiro passo', indicando o processo de reconciliação no país abalado por mais de 50 anos de guerra entre o Governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e que alcançou a assinatura dos acordos de paz. O momento central foi o encontro de oração para reconciliação nacional, com a participação de milhares de sobreviventes do conflito. Foi apresentado o testemunho de vítimas da violência que superaram a dor a partir da fé. O Papa explicou que reconciliação não é uma palavra que devemos considerar abstrata; se assim fosse, traria maior distância. Reconciliar-se, segundo ele, é abrir uma porta.

Quando as vítimas vencem a tentação compreensível da vingança, tornam-se protagonistas da construção da paz. Seguindo este pensamento, é preciso que tenhamos sempre coragem de dar o primeiro passo, sem esperar os outros. Basta uma pessoa boa, para que haja esperança. E cada um de nós pode ser essa pessoa.

AS PALAVRAS DO PAPA

As palavras do Papa revelam o seu desejo para toda América Latina: uma Igreja que faça parte da história do povo, que console as feridas, as cure, que percorra os caminhos para a paz. E cada um de nós pode aplicar o desejo do Santo Padre em nosso dia-a- dia. Será que somos capazes de dar o primeiro passo junto às pessoas que nos feriram? Ou preferimos ficar calados nas situações que nos desagradam? É importante que a gente tenha coragem de buscar o resgate daqueles que erram e não esperar a sua destruição, lutar pela justiça e não pela vingança, pela reparação na verdade e não no seu esquecimento. Como nos pediu o Papa: vamos dar o primeiro passo, e ainda, continuar diariamente a caminhar juntos, procurando ir a encontro do outro. Não podemos ficar parados!

 

Últimas de Rio De Janeiro