Integrantes do PCC estariam na Rocinha, diz delegado

Entretanto, polícia não confirma se facção participou da invasão do último domingo

Por O Dia

Rio - Integrantes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) estariam na comunidade da Rocinha. A informação foi divulgada pelo delegado titular da 11ª DP (Rocinha), Antônio Ricardo, durante apresentação do balanço da megaoperação das polícias Civil e Militar, realizada nesta segunda, um dia após o confronto entre traficantes. Entretanto, o delegado informou que "não tem como dizer que eles participaram dessa ação". 

GALERIA: Polícia faz operação na Rocinha após guerra entre traficantes

Polícia faz operação na Rocinha após guerra entre traficantesEstefan Radovicz/Agência O DIA

Ainda de acordo com o delegado, Rogério 157, apontado como chefe do tráfico na região, estaria escondido na mata no alto da comunidade. Danúbia, mulher do traficante Nem, também estaria na Rocinha. Ela é foragida da Justiça.

Antônio também informou que pelo menos 50 homens em dez carros tentatam retomar o comando do tráfico da favela. Eles vieram do Morro do São Carlos, no Estácio, do Morro dos Macacos, em Vila Isabel, e da Vila Vintém, na Zona Oeste.

Balanço da operação

Três pessoas foram presas e três morreram na ação desta segunda-feira. Os presos foram identificados como Wilklen Nobre Barcelo, 20 anos; Edson Gomes Ferreira, 30 anos; Fábio Ribeiro França, 19 anos. 

Segundo a polícia, os detidos tinham mandado de busca por tráfico. Uma pistola, duas granadas e fardas do Exército também foram apreendidas. 

Sobre os mortos, dois corpos carbonizados foram encontrados pelos agentes no alto da comunidade. Já o terceiro foi morto em confronto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope). Não há a identificação das vítimas e a Delegacia de Homicídio investiga o caso. 

Últimas de Rio De Janeiro