Patrulhamento na Rocinha permanecerá reforçado por tempo indeterminado

Segundo o secretário de Segurança do Rio, Roberto Sá, as tropas federais podem ser chamadas caso necessário

Por O Dia

Rio - Após intensos confrontos da Rocinha desde domingo, o secretário de Segurança do Rio, Roberto Sá, informou que o patrulhamento permanecerá por tempo indeterminado na comunidade. Desde o início da manhã desta terça-feira, policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) estão fazendo operação na favela para buscar os traficantes que tentaram invadir a favela.

Polícias Militar e Civil fizeram megaoperação na RocinhaEstefan Radovicz/Agência O DIA

"Vamos regular essa operação dia a dia para tentar causar o mínimo de transtorno para moradores e buscar paz. Se houver necessidade de mobilizar tropas federais, serão utilizadas", afirmou o secretário, em entrevista ao RJTV.

Sá admitiu falha na operação para conter a invasão dos traficantes, mas minimizou o fato. "Cobrei do comandante-geral o que pode ter acontecido porque já havia notícias do setor de Inteligência dessa inquietação, dessa instabilidade, com o possível racha dessa facção, como ocorreu. Houve um reforço, mas ele me confirmou que esse reforço, ou foi insuficiente, ou houve uma falha na operacionalização. Se não foi possível evitar a invasão, houve equívoco. A busca agora é para que moradores voltem a ter paz", destacou.  

O secretário disse que se surpreendeu com a declaração do ministro da Defesa, Raul Jungmann, de que havia problemas de comunicação entre as esferas federal e municipal. "É óbvio que instituições diferentes precisam sempre de ajustes para operar, uma vez que têm custos de operação diferenciados. Mas não há absolutamente nenhum ruído. A comunicação com o ministro é muito boa e com o comandante militar do leste, melhor ainda. Nos falamos quase que diariamente", reforçou.

Últimas de Rio De Janeiro