Coluna PCD: CIAD Mestre Candeia

Unidade municipal é referência no atendimento à PcD no centro do Rio

Por O Dia

Rio - Promover a inclusão de pessoas com deficiência na sociedade. É com este objetivo que a Subsecretaria da PcD (SUBPD) da prefeitura do Rio de Janeiro trabalha, por meio de centros de referência, espalhados em vários bairros da cidade. Entre as diversas ações, as equipes desenvolvem acessibilidade atitudinal e no meio ambiente, reabilitação, inclusão no mercado de trabalho e prática de esportes.

Silvéria Ferreira%2C com deficiência visual%2C trabalha no Laboratório de Tecnologia Assistida para cegos.Divulgação

Um dos destaques é o Centro Municipal de Referência da Pessoa com Deficiência (CMRPD) CIAD Mestre Candeia, que fica no Centro do Rio. Com 170 usuários, aproximadamente, a unidade chega a prestar cerca de 1.000 atendimentos mensais em diversas especialidades e atividades: fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, terapia ocupacional, musicoterapia, psicopedagogia, oficinas, teatro, dança, laboratório de tecnologia assistida, educação física, Braille, neurologia, nutrição, assistência social, entre outras. "Atendemos desde o bebezinho, que acaba de receber o diagnóstico de deficiência, até o adulto, que chega aqui com sequela de AVC, por exemplo", explica Roberta Malheiros, fonoaudióloga e supervisora técnica do centro de referência.

Demanda por autismo é diferencial

O CMRPD já teve um centro de tratamento para o autismo, por isso ainda mantém o diferencial de atendimento para esta deficiência. "As crianças estão recebendo o diagnóstico cada vez mais cedo. Dessa forma, a procura de terapia tem aumentado bastante nos últimos anos. Hoje, quase metade de nossos atendimentos são para pessoas com autismo. A nossa intenção é expandir o serviço no futuro", destaca a supervisora. A neurologista Eliane Silva ressalta que, atualmente, a demanda por autismo chega a ser mais frequente do que por Síndrome de Down e paralisia cerebral. "Para os especialistas, esse aumento se deve ao diagnóstico mais apurado", afirma.

Últimas de Rio De Janeiro