Fernando Mansur: Acordes espirituais

Mesmo uma pessoa sem religião poderia ser muito espiritualizada

Por O Dia

Rio - Quais seriam as diferenças entre espiritualidade, religião, literatura religiosa e os religiosos? A essência espiritual que habita em cada ser. Algo inato. Todos teríamos esse componente. Para chegar a esta conclusão, será que devemos ter estudado ou pesquisado em alguns livros e participado de alguma religião, ou de mais de uma? Há pessoas que são naturalmente religiosas, ou espiritualizadas.

Mesmo uma pessoa sem religião poderia ser muito espiritualizada. É uma pergunta bastante complexa. Há uma frase muito elucidativa sobre isso: "Se a pessoa é boa, que importa o nome de sua religião? E se não é boa, que diferença faz se tem ou não religião?" Escrevo essa reflexão após ler Krishnamurti, filósofo indiano que faz pensar e repensar.

É um contrassenso imaginar uma religião brigando com outra. Imagine se Jesus brigaria com Buda ou este com Maomé... Tirando os véus exotéricos, descobrimos a Teosofia. Quem pronunciou as exortações: "Ama ao próximo como a ti mesmo", "Ama tudo que vive", "Não faças aos outros aquilo que não desejas que façam contigo"?

Cito Helena Blavatsky. Em 'Ísis sem Véu' ela escreve: "Tal como o raio de luz branca é decomposto pelo prisma nas várias cores do espectro solar, também o raio da verdade divina, ao passar pelo prisma trilateral da natureza humana, tem sido dispersado em vários fragmentos coloridos chamados RELIGIÕES. Combinados, representam uma verdade eterna; separados, são nuances das falhas humanas e sinais de imperfeição."

Fernando Mansur: Radialista. Escritor. Professor. Graduado em Letras pela Universidade Católica de Minas Gerais (Ponte Nova). Mestre e doutor em Comunicação pela UFRJ. 

Últimas de Rio De Janeiro