Caxias terá sua 'Ceasa'

Projeto da prefeitura promete superar o de Irajá e ser o maior da América Latina

Por O Dia

Rio - Em um terreno de 550 mil metros quadrados, na Rodovia Washington Luiz, entre os bairros Campos Elíseos e Jardim Gramacho, a Prefeitura de Duque de Caxias vai construir sua própria Ceasa. O custo previsto é de R$ 700 milhões. "Queremos criar a maior unidade da América Latina. A localização é vantajosa, em uma rodovia que é passagem para quem vem de todas as regiões", explicou o prefeito Washington Reis sobre o terreno, recém adquirido do Governo Federal. O empreendimento deve gerar 20 mil empregos diretos e indiretos.

Empreendimento de 550 mil m² será erguido na Washington LuizDivulgação

A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, responsável pela Ceasa-RJ, disse que o projeto é uma ação independente do município e que não pretende criar uma nova unidade. Já o presidente da Ceasa-RJ, Aguinaldo Balon, afirmou, em nota, que o novo empreendimento não tem envolvimento com a Ceasa.

De acordo com o prefeito de Caxias, o novo projeto pode superar a atividade da atual sede, em Irajá, além das outras unidades do estado. "A Ceasa é pequena perto do que pretendemos aqui. Vamos oferecer infraestrutura melhor, numa construção maior, com aluguéis, condomínios e prêmios de seguro mais baratos. Vamos atrair com incentivos. A vinda será por adesão e não por imposição", defendeu Washington Reis.

As obras devem durar um ano e dois meses. Um dos atrativos da estrutura promete ser a segurança: "Queremos tudo monitorado, sem violência no entorno. Isso vai contribuir para que o projeto fique de pé e beneficie a todos", disse o prefeito, que pretende atrair grandes empresas para Duque de Caxias. "O mercado está empolgado, vai ser o maior empreendimento do estado do Rio", assegurou Reis.

A sede da Ceasa, em Irajá, é a segunda maior da América Latina, fundada em 1974. A estrutura abriga mais de 600 comerciantes e tem cerca de 2.500 produtores cadastrados, com 50 mil pessoas circulando no espaço diariamente. Além disso, a Ceasa conta com unidades em São Gonçalo, Nova Friburgo, Paty do Alferes, São José de Ubá e Itaocara. Juntas, elas comercializam mais de dois milhões de toneladas de alimentos por dia com dois mil produtores.

Reportagem da estagiária Nadedja Calado, sob supervisão de Jorge Jereissati

Últimas de Rio De Janeiro