Informe: Câmara Municipal se une para reduzir poder das OSs

Mais que apoiar, 98% do Parlamento pediu para incluir a assinatura em projeto de lei

Por O Dia

Rio - A Câmara Municipal se uniu para reduzir o poder das Organizações Sociais (OSs) na Saúde. O projeto de lei do vereador Carlos Eduardo (SD) foi protocolado com nada menos que 48 coautorias. Isso quer dizer que, mais que apoiar, 98% do Parlamento pediu para incluir a assinatura no texto. Dos 50 vereadores da Câmara Dr. Gilberto (PMN) está preso , só um não colocou o nome.

O texto tira das OSs, que hoje administram 51% da rede municipal de Saúde, o poder de contratação e de compra de equipamentos e medicamentos. "A ideia é que as OSs atuem apenas no atendimento, fornecendo profissionais. As licitações ficarão a cargo da Rio Saúde (Empresa Municipal de Saúde). Isso vai aumentar o controle e evitar casos de superfaturamento", diz Carlos Eduardo.

Alinhados

Após ser aprovado pela Câmara, o projeto, que deverá ser votado em regime de urgência, não enfrentará resistência por parte da prefeitura. Marcelo Crivella (PRB) e o secretário de Saúde, Marco Antônio de Mattos, são entusiastas da ideia. Mattos, aliás, é irmão de Carlos Eduardo.

Educação

O clima entre o vereador Paulo Messina (Pros) e o secretário de Educação, César Benjamin, que já não era dos melhores, piorou após a redução do vale-transporte de servidores. "Não dá para o professor ficar sabendo com a chegada do contracheque. Isso é muito errado", reclamou o líder do governo, em áudio que circulou no WhatsApp.

Rei Arthur

O deputado Bruno Dauaire (PR) fez um requerimento de informações ao Detran perguntando por que o governo estadual renovou R$ 700 milhões em contratos com a Prol Soluções LTDA. "Pelo que parece, o reinado do Rei Arthur continua", diz ele, referindo-se ao empresário Arthur Soares, investigado pela Lava Jato e procurado pela Interpol. O Detran ficou de enviar os esclarecimentos semana que vem.

Fica pra próxima

Representantes da OAB-RJ e o advogado Victor Travancas marcaram encontro com Crivella, há dez dias, na prefeitura. Discutiriam a nomeação de Crivella Filho para a Casa Civil, embargada pelo STF após ação de Travancas acusar nepotismo. Faltando cinco minutos, o prefeito desmarcou a reunião.

Falando em OAB

A Comarca de Mendes, no Sul Fluminense, está há dez anos sem juiz titular. Os casos vêm sendo julgados por um juiz da vizinha Paulo de Frontin. Presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB, Luciano Bandeira diz que a falta de um titular causa lentidão na tramitação dos processos e desestimula a população a acionar a Justiça.

Mudança

Quando Eduardo Paes (PMDB) deixou a Gávea Pequena, residência oficial do prefeito, no Alto da Boa Vista, deixou por lá os pets que o acompanharam em sua gestão: cinco cachorros e um pônei. Filha de Crivella, Rachel tem tomado conta dos bichos e levado ao veterinário. "É como se o Obama saísse da Casa Branca e deixasse os animais de estimação para o Trump tomar conta", brinca um gaiato.

Recursos minguaram

O Centro de Apoio a Educação, Cultura, Esporte, Saúde e Meio Ambiente fará protesto, depois de amanhã, cobrando mais investimento da prefeitura em políticas públicas para idosos. Ocorrerá em seis bairros.

 

Últimas de Rio De Janeiro