Roubo de carga cai 45% após ação conjunta das forças de segurança

ISP mostra que há necessidade, porém, de medidas do tipo contra roubo de carros, ônibus e celulares

Por O Dia

Rio - A ação conjunta das forças nacionais nas rodovias e uma mudança de estratégia da Polícia Militar foi a responsável pela redução de cargas em 45,6% no mês de agosto em relação ao mês de maio deste ano, registro recorde do crime. O dado foi divulgado pelo Instituto de Segurança Pública ontem. Como O DIA havia antecipado, os roubos a carros, ônibus e celulares aumentaram mesmo com a atuação das Forças Armadas. Somente o de veículos aumentou em 51,7%.

Apesar da atuação da Força Nacional em 16 pontos ao redor dos Complexos da Pedreira e do Chapadão, os roubos de cargas não diminuíram ainda mais por um motivo: os agentes federais não trabalham entre 17h e 7h. Além disso, o policiamento fica desfalcado no horário de almoço. Aproveitando essas brechas, criminosos continuam atacando os caminhões com cargas, principalmente na madrugada.

Caminho da carga roubadaArte%3A O Dia

Foi o que ocorreu ontem, quando um motorista que transportava produtos de beleza foi abordado na Avenida Brasil. Mantido refém, ele foi obrigado a dirigir até o interior da Favela da Quitanda, em Costa Barros, Zona Norte. No local, criminosos ligaram para a empresa, solicitando o desbloqueio da trava de segurança do compartimento de cargas.

O DIA teve acesso ao áudio do telefonema. Em um dos trechos, irritado com
a demora no desbloqueio, um homem, que se identifica como o “dono da favela”, ameaça atirar contra a cabeça do motorista caso a carreta não fosse desbloqueada.

Após a retirada da mercadoria, o motorista foi liberado. Durante a manhã, a Polícia Militar fez uma operação e conseguiu recuperar a carga de produtos de beleza em uma casa abandonada, usada para armazenar cargas roubadas.

Há dois meses no comando do 41º BPM (Irajá), o coronel Maurílio Nunes, mudou a estratégia de policiamento. “Começamos a fazer abordagens e reforçamos o policiamento nos principais pontos que os criminosos passam antes de entrar nas comunidades”, disse. Nos últimos três dias, cinco cargas foram recuperadas pelos policias do batalhão, sendo quatro ainda em deslocamento para as favelas.

“Os danos colaterais de uma operação devem ser avaliados. Na última semana, os criminosos aproveitaram a saída da Força Nacional para o almoço e roubaram uma carga. Os enfrentamos, recuperamos a carga, sem feridos”, afirmou Nunes. Nove pontos ao redor dos complexos do Chapadão e Pedreira receberam policiamento extra.

Um carro foi roubado a cada dez minutos em agosto

A cada dez minutos um carro foi roubado no Estado do Rio no mês de agosto deste ano. Segundo dados do ISP, o crime teve aumento de 51,6% em comparação com o mesmo período de 2016. Se em agosto de 2016 foram registrados 3.041 roubos, em agosto de 2017 foram 1.572 motoristas a mais que tiveram seus carros roubados.

Também foram registrados aumentos em roubos em coletivos (39,64%), de celulares (37%), e a transeuntes (9,9).

Os dados confirmam levantamento que O DIA fez no período de atuação das Forças Armadas no Rio. O ministro Raul Jungmann, comparando períodos diferentes, disse que os crimes caíram.

Em análise do roubo de cargas, há uma queda seguida desde maio. No mês, foram registrados 1.037 crimes deste tipo em, 49% a mais do que no mesmo período do ano passado. No entanto, mesmo com a queda de 45,6% em agosto em relação ao mês de maio deste ano, há aumento se compararmos com agosto de 2016: 11,06%. Também houve aumento de 1,3% no número de homicídios dolosos no estado em agosto.

 

Últimas de Rio De Janeiro