Forças de segurança buscam traficantes ligados a Nem da Rocinha na Zona Norte

PMs, policiais civis e militares das Forças Armadas atuam no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na manhã desta sexta-feira

Por O Dia

Rio - As Forças Armadas, a Polícia Civil e a PM fazem uma megaoperação, na manhã desta sexta-feira, no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio. O objetivo é cumprir 31 mandados de prisão contra traficantes que seriam ligados a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha. Até o momento, dez pessoas foram presas e dois menores detidos. Grande quantidade de drogas, ainda não contabilizadas, foi apreendida.

Um dos principais alvos da ação é o chefe do tráfico de drogas da favela, Leandro Nunes Botelho, conhecido como Scooby. De acordo com as investigações, ele tem ligação direta nas disputas entre os traficantes da Rocinha que começaram no mês passado. A comunidade da Zona Sul foi ocupada por quase mil militares das Forças Armadas durante uma semana após a invasão de bandidos rivais.

Forças de segurança buscam traficantes ligados a Nem da Rocinha na Zona NorteEstefan Radovicz / Agência O Dia

O Disque Denúncia informou que, de janeiro a setembro deste ano, recebeu 51 denúncias sobre ações de traficantes de drogas, além de outros crimes, que sofrem influências de bandidos da Amigos dos Amigos (ADA). A facção é a mesma de Nem da Rocinha. 

Delegado titular da 20ª DP (Vila Isabel), Marcus Vinicius Braga contou que a delegacia e a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade descobriram que bandidos estavam circulando no Morro dos Macacos com armas de grosso calibre. As investigações começaram há três meses.

"Os policiais da UPP fazem um belo trabalho e evitam o confronto. Por mais que não peguemos todos hoje, eles terão mandados e poderão ser presos a qualquer momento. Fazemos uma operação preventiva. Eles [os traficantes] podem ficar 'tranquilos', que não passarão despercebidos", afirmou Braga, acrescentando que os policiais civis e as Forças Armadas ficarão na favela por tempo indeterminado.

Forças de segurança buscam traficantes ligados a Nem da Rocinha na Zona NorteEstefan Radovicz / Agência O Dia

Por causa da ação, o Centro de Operações informou que a Rua Torres Homem, a partir da Rua Souza Franco, está interditada desde às 6h. Motoristas devem optar pelo Boulevard 28 de Setembro.

Alunos sem aulas

Mais uma vez os estudantes ficaram prejudicados por causa dos tiroteios na cidade. Ao todo, 2.735 alunos não tiveram aulas nesta sexta-feira no Rio. O principal local atingido foi o Morro dos Macacos, onde quatro colégios, duas creches e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) não abriram. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, 1.951 crianças e adolescentes foram prejudicados.

"Todas as escolas lá dentro estão fechadas. Nos últimos dias, ao contrário de muitos outros, tem existido uma aparente tranquilidade. Eu avalio como boa a vinda das Forças Armadas aqui pra comunidade. Com eles teremos paz", afirmou um idoso, de 69 anos, que mora nos Macacos há 15 anos.

Já no Morro São João, 418 alunos estão sem aulas em uma escola.  Na Praça Seca, onde também ocorre uma operação da PM, 232 estudantes de um EDI foram atingidos. Na Rocinha, duas creches com 134 crianças não abriram.

Traficantes derrubam helicóptero nos Macacos

Em outubro de 2009, traficantes do Morro dos Macacos derrubaram uma aeronave durante confronto. Tiros atingiram a parte traseira do helicóptero, iniciando um incêndio que obrigou o piloto a fazer um pouso forçado. Três policiais morreram em decorrência da queda: Marcos Stadler Macedo e Edney Canazaro de Oliveira não conseguiram sair da aeronave, enquanto Izo Gomes Patrício faleceu devido às lesões provocadas pelos tiros recebidos.

Em 2012, Fabiano Atanásio da Silva, vulgo FB, e seu comparsa Leandro Domingos Berçot, vulgo Lacoste, foram julgados por homicídio qualificado (três vezes), tentativa de homicídio (seis vezes), e associação para o tráfico de drogas, todos em concurso material. 

Segundo depoimentos de vítimas e testemunhas, FB seria um dos líderes do Comando Vermelho e organizador direto da ação que buscou dominar a Comunidade do Morro dos Macacos, até então ocupada pela ADA.

Últimas de Rio De Janeiro