Novo secretário de assistência social promete priorizar dependentes químicos

Prefeito Marcelo Crivella deu posse a Pedro Fernandes, que já orientou primeira ação para acolher pessoas em situação de rua no Parque União

Por O Dia

Rio - O novo secretário municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Pedro Fernandes tomou posse nesta sexta-feira com um desafio em mente: acolher e tratar a população em situação de rua e os dependentes químicos. 

Marcelo Crivella dá posse a Pedro Fernandes na secretaria de Assistência Social e Direitos HumanosEdivaldo Reis/Prefeitura do Rio

Juntamente com o prefeito Marcelo Crivella, Fernandes esteve na Avenida Brasil, na altura do Parque União em Ramos, na Zona Norte. No local, há uma grande concetração de dependentes de drogas, conhecida pela população como "cracolândia". 

A ideia da Prefeitura é construir um local de acolhimento perto dali, utilizando parte das instalações do Restaurante Popular João Goulart, que passa por reformas e deve ser reaberto nos próximos meses.  

Deputado estadual, o novo secretário considera o novo cargo o maior desafio de sua carreira política e que, apesar de focar no tratamento de dependentes químicos, garante que também não vai esquecer do trabalho com os idosos. "A gente quer identificar as pessoas que querem se recuperar e se tratar. E aqueles que não quiserem, temos que respeitar a questão da não internação compulsória, para que a gente possa dar a esses dependentes químicos pelo menos uma dignidade de terem onde dormir e onde se higienizar", afirmou Fernandes.

Crivella prometeu reunir todos o secretariado para ajudar na questão. "Precisamos ter aqui também um restaurante popular, mas certamente vamos encontrar um lugar para esse povo que está aqui em risco, perto de uma via movimentada como a Avenida Brasil. Ninguém quer que ele seja atropelado, sobretudo no momento que usa a droga e perde a consciência", disse o prefeito.

Ele também conversou com alguns depedendentes. "Certamente muitos deles não sabem como foram parar ali. Agora cabe a nós encontrarmos os caminhos para eles saberem como sair dali", disse.

A ideia da secretaria é realizar uma parceria com a Fundação Leão XIII, que pertence ao governo estadual, para obter mais de 200 leitos para acolhimento de dependentes químicos.

Últimas de Rio De Janeiro