Polícia prende Danúbia Rangel, mulher do traficante Nem da Rocinha

Agentes das 39ª DP e 52ª DP encontraram a mulher na Ilha do Governador

Por O Dia

Rio - Procurada há mais de um ano pela polícia, Danúbia Rangel, mulher do traficante Antonio Bonfim Lopes, o Nem, foi presa no início da noite desta terça-feira no bairro Tauá, na Ilha do Governador. Nem está em presídio federal, mas, mesmo assim, disputa o tráfico de drogas na Rocinha com Rogério Avelino, o Rogério 157.

Condenada a 28 anos de prisão por tráfico de drogas, associação ao tráfico e corrupção ativa, Danúbia estava saindo da casa de uma amiga, na Rua Carlos Magno, quando foi presa. A rua fica a 20 minutos, a pé, do Morro do Dendê. Assim que ela foi presa, vários disparos foram feitos do morro, o que fez os policiais das delegacias da Pavuna e de Nova Iguaçu saírem do local, que é uma área residencial. “

Danúbia foi encaminhada à Cidade da PolíciaAlexandre Brum / Agência O Dia

"Acreditamos que ela estava sendo vigiada por seguranças, que souberam da prisão”, disse um investigador. Danúbia afirmou aos policiais que estava se deslocando para o morro, onde estava há duas semanas, desde que saiu da Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré. Assim como no Dendê, a Vila dos Pinheiros tem influência do tráfico da facção crimonosa Terceiro Comando Puro (TCP).

Danúbia de Souza RangelReprodução Internet

Conforme O DIA noticiou em maio, o TCP se uniu à facção Amigo dos Amigos, da Rocinha, formando o TCA (Terceiro Comando dos Amigos). Assim, Danúbia conseguiu se refugiar em favelas do TCP após ser expulsa da Rocinha por Rogério 157. Fascinada por óculos escuros e espelhados, roupas de grife e sol, fotos novas de Danúbia apareciam nas redes sociais, mesmo foragida.

Uma semana antes de ser condenada, foi solta para cuidar da filha que tem com Nem. A sua primogênita, que teve com outro traficante, morreu aos 13 anos de tuberculose. No dia 29 de setembro, um perfil no Facebook atribuído à mulher do traficante postou: “Quem nasceu pra rainha nunca perde a majestade”. Em outra frase, escreveu: “Foragida  sim, de boa também”



Últimas de Rio De Janeiro