Policiais do Bope são atacados na Rocinha

Após confronto, militares apreenderam armas e drogas. Mais tarde, PMs foram atacados com uma granada na Estrada da Gávea com Rua 2

Por O Dia

Rio - Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram atacados por bandidos, na noite de sábado na Favela da Rocinha, na Zona Sul. De acordo com a polícia, os militares estavam patrulhando a Rua Um quando foram surpreendidos pelos criminosos. Houve confronto, mas ninguém ficou ferido. 

Policiais do Bope são atacados na Rocinha e apreendem granadas%2C munição e drogasDivulgação

Em seguida, os agentes apreenderam três granadas caseiras, 13 bolas de 1kg de cocaína, 141 saquinhos de cocaína, um tablete de erva seca, uma tira de erva seca, um kit roni, dois carregadores de AK, quatro carregadores de FAL, seis carregadores de AR10, dois carregadores de metralhadora, 129 munições de diversos calibres, dez rádios transmissores, três bases de rádio e dez balanças de precisão. A ocorrência foi registrada na 11ªDP (Rocinha).

Já na madrugada deste domingo, foi a vez de policiais militares serem atacados. Os criminosos jogaram uma granada contra os agentes que estavam na Estrada da Gávea com Rua 2. O artefato explodiu próximo a uma das bases da UPP. Entratento, niguém ficou ferido.

Na manhã deste domingo, um novo confronto foi registrado na comunidade. Desta vez, criminosos atiraram contra policiais que estavam na entrada do Beco 199. Houve confronto, mas ninguém foi ferido.

Saldo das operações

A polícia realiza operações na Rocinha desde o dia 18 de setembro, após o início da guerra entre os traficantes do bando de Rogério 157 e Nem, que disputam o controle da venda de drogas na favela. 

Segundo a PM, desde o início da operação até este sábado 27 pessoas já foram presas, sete menores foram apreendidos e dez pessoas foram mortas.

Já sobre armas, munições e drogas apreendidas o balanço é de: 19 fuzis, três submetralhadoras, cinco espingardas calibre 12, 21 pistolas, quatro simulacros de fuzis, três simulacros de pistola, 39 granadas e mais de duas toneladas de drogas.


Últimas de Rio De Janeiro