Agência dos Correios na Baixada fraudava vendas pela Internet

Esquema que envolvia mais de 20 pessoas usava irregularmente etiquetas postais para cobrar excesso de peso de site de compra e venda online

Por O Dia

Rio - Policiais da Delegacia de Defraudações (DDEF) realizam, nesta quarta-feira, uma operação para combater fraudes na venda de produtos pela Internet, que somaram quase R$1,2 milhão. Os agentes identificaram mais de 600 anúncios fraudados e a utilização irregular de mais de três mil etiquetas de códigos de barra. Ao todo, 20 pessoas estão sendo investigadas. Os suspeitos serão indiciados por estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa. 

Segundo a Polícia Civil, um dos investigados é dono de uma agência dos Correios no Centro de Japeri, na Baixada Fluminense, onde os policiais cumpriram mandado de busca e apreensão. Oito envolvidos estão ligados à agência, como funcionários e parentes deles. Outras 12 pessoas do Rio de Janeiro são investigadas por publicarem anúncios na Internet e emitirem códigos de barra de forma fraudulenta.

A quadrilha anunciava no site Mercado Livre produtos de baixos valores, como esmaltes a R$ 1,99. Quando a compra era realizada, uma etiqueta com código de barras era gerada para envio dos produtos pelos Correios. Os criminosos, então, cancelavam a venda e usavam a etiqueta já emitida pelo sistema para enviar produtos maiores e mais caros, como móveis. A agência dos Correios envolvida no esquema cobrava, do site, o excesso de peso da mercadoria, conforme previsto em contrato.

Em alguns casos, os criminosos se cadastravam no site como vendedores, usando informações falsas. Os estelionatários anunciavam produtos e compravam, eles mesmos, as mercadorias, apenas para gerar as etiquetas. 

“Identificamos casos em que a conexão de Internet usada para anunciar um produto foi a mesma utilizada para efetuar a compra dessa mercadoria, mostrando que venda e compra foram feitas pela mesma pessoa”, explicou a delegada da Defraudações, Patrícia de Paiva Aguiar.

Foram apreendidos computadores e documentos. Duas pessoas foram conduzidas para a delegacia, na Cidade da Polícia, para prestarem depoimento.

A ação faz parte da Operação Arquimedes e policiais também cumprem mandados expedidos pela 1ª Vara Criminal de Japeri em quatro endereços residenciais. A Delegacia de Defraudações ainda trabalha para identificar outros envolvidos no esquema.

Últimas de Rio De Janeiro