Prefeitura vai liberar verba para as OSs

Repasse de R$ 36,484 milhões será para regularizar salários. Orçamento da saúde ganha mais R$ 553 milhões para 2018

Por O Dia

Rio - Para conter a crise na saúde do Rio, a prefeitura autorizou nesta quarta-feira, o repasse de R$ 36,484 milhões às Organizações Sociais (OSs), referente aos salários de setembro. O valor será encaminhado às instituições até amanhã. O prefeito Marcelo Crivella também liberou a inclusão de mais de R$ 553 milhões ao orçamento da saúde para o ano que vem.

Entre as sete OSs que vão receber a verba, está a Iabas, no valor de R$ 5,560 milhões. A organização é a responsável pela gestão do Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, que há meses enfrenta problemas como falta de insumos, medicamentos e profissionais. Além dela, a OS Viva Rio também terá repasse, no total de R$ 6,781 milhões, o que vai garantir a atualização dos salários dos funcionários de algumas Clínicas da Família, como a do Complexo do Alemão. A unidade chegou a ter serviço suspenso na terça-feira por conta das más condições de trabalho.

O 'alívio' da saúde chega um dia após o prefeito ter se reunido com representantes das OSs. Além da promessa de regularizar as contas, ele deu sinal verde à Secretaria Municipal de Fazenda para acrescentar ao orçamento de 2018, o valor de R$ 553.567.689 milhões à Secretaria Municipal de Saúde. O ofício com a atualização da verba será inserido em retificação ao Projeto de Lei Orçamentária já enviado à Câmara Municipal do Rio.

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, esteve nesta quarta com o secretário municipal de Saúde, Marco Antônio de Mattos, e solicitou o compartilhamento dos dados relativos ao orçamento, gestão e execução orçamentária da pasta.

Mais de R$ 29 milhões

Além do acréscimo ao orçamento da saúde para 2018, Crivella também autorizou o incremento de R$ 29,694 milhões à Secretaria Municipal de Educação.

A inclusão do total de R$ 583,262 milhões às receitas do ano que vem foi determinado por recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), além da Receita de Conversão de Precatórios e do Imposto sobre serviços de qualquer natureza e taxas (ISS).

Últimas de Rio De Janeiro