Comandante do 3º BPM é morto a tiros no Méier

Crime ocorreu na Rua Lins de Vasconcelos nesta quinta-feira. PM chegou a ser levado para o Hospital Salgado Filho, mas não resistiu

Por O Dia

Comandante do 3º BPM%2C o coronel Luiz Gustavo Teixeira estava na corporação há 26 anosDivulgação

Rio - O comandante do 3º BPM (Méier), coronel Luiz Gustavo Teixeira, 48 anos, foi morto a tiros dentro de uma viatura descaracterizada, no início da tarde desta quinta-feira, na Rua Lins de Vasconcelos, esquina com a Rua Hermengarda, no Méier, Zona Norte do Rio. A informação foi confirmada ao DIA pelo comandante-geral da Polícia Militar, Wolney Dias.

O relatório da ocorrência do batalhão da área diz que um carro que vinha na frente da viatura parou no meio da via. Depois, os bandidos desembarcaram para iniciar um arrastão. Houve troca de tiros e o oficial levou um tiro de fuzil no peito e o motorista foi atingido na perna. No Twitter, a corporação caracterizou o fato como um atentado.

O motorista também é um policial, que fazia a segurança do comandante, e teria sido baleado. Teixeira, que foi alvejado no peito, chegou a ser levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, mas já chegou morto na unidade. Já o outro PM, identificado como Nei Filho, passou por uma cirurgia na unidade e não corre o risco de morrer. Ele foi transferido para o Hospital da Polícia Militar, no Estácio.

Operação da PM no Grande Méier

A Polícia Militar começou uma operação com  130 policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins para cercar os acessos às comunidades do Lins, Camarista-Méier e São João. A estrada Grajaú-Jacarepaguá foi fechada nos dois sentidos por causa da operação policial e liberada às 20h45. O Centro de Operações da Prefeitura (COR) pediu para os condutores evitarem a região. Os motoristas seguiram pelo Alto da Boa Vista ou Linha Amarela. A Rua Lins dos Vanconcelos, na altura da Rua 24 de Maio, também chegou a ser interditada, mas já foi liberada. 

PM é transferido do Hospital Salgado Filho para o Hospital da Polícia Militar%2C no EstácioAlexandre Brum / Agência O Dia

O comandante é o 111º policial militar assassinado no estado em 2017. Teixeira estava na corporação há 26 anos e estava à frente do 3º BPM há um ano e seis meses. Ele também trabalhou na Secretaria de Estado de Segurança (Seseg), de 2011 a 2014. O policial deixou uma mulher e dois filhos. A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) assumiu as investigações e não descarta nenhuma hipótese.

Comandante do 3º BPM (Méier) foi morto dentro de carroDivulgação

Na tarde desta quinta-feira, moradores também relataram um tiroteio no Complexo do Lins. Segundo o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, policiais se depararam com criminosos armados durante patrulhamento no Comunidade do Amor. Houve confronto. 

Pezão lamenta morte de policiais

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, se pronunciou sobre o crime. Em nota, Pezão afirmou lamentar a morte trágica do comandante do 3°BPM (Méier) e disse que o crime é inaceitável. "Não vamos descansar enquanto os responsáveis por esse crime hediondo não estiverem nas mãos da Justiça", diz um trecho do comunicado.

Pezão embarca na tarde desta quinta-feira para Rio Branco, no Acre, onde vai participar do encontro de governadores para tratar de Segurança Pública e controle das fronteiras: "Narcotráfico, uma emergência nacional".

Portal oferece recompensa

O Portal dos Procurados divulgou nesta quinta-feira, um cartaz com recompensa de R$ 5 mil por informações que levem aos envolvidos na morte do coronel Luiz Gustavo Lima Teixeira e do cabo Djalma Virissimo Pequeno, de 36 anos. 

Portal dos Procurados oferece recompensa por informações que levem aos suspeitos de matar os militaresDivulgação

PM morto em Guadalupe

O cabo Djalma Pequeno do 41º BPM (Irajá) foi morto durante uma troca de tiros em um shopping em Guadalupe, Zona Norte do Rio, na tarde desta quinta. Ele e o outro policial estavam de folga e foram atingidos em uma tentativa de assalto a uma joalheria, dentro do shopping Jardim Guadalupe. O segundo policial foi 

O Portal pede para quem tiver informações a respeito da identificação e a localização dos envolvidos denuncie pelos seguintes canais: WhatsApp ou Telegram dos Procurados (21) 98849-6099; central de atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook: https://www.facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia. O anonimato é garantido em todas as plataformas. 

Colaborou Karilayn Areias


Últimas de Rio De Janeiro