Bolsonaro não destinou verba para PM do Rio

Com base eleitoral militar, o parlamentar destinou cerca de R$ 5 milhões a instituições ligadas às Forças Armadas

Por O Dia

Rio - O deputado Jair Bolsonaro (PSC) não destinou verbas das emendas parlamentares a que tinha direito à Polícia Militar do Rio, de acordo com o portal da Câmara dos Deputados. Com grande base eleitoral militar, o parlamentar destinou cerca de R$ 5 milhões a instituições ligadas às Forças Armadas, como assistência médica e odontológica nacional dos Servidores Civis, Empregados, Militares e seus dependentes.

Conforme O DIA Online noticiou ontem, por seis meses, oficiais da Polícia Militar bateram de porta em porta nos gabinetes de deputados federais eleitos pelo Rio em Brasília. O objetivo era apresentar projetos que pudessem ser contemplados com verbas de emendas parlamentares.

Deputado federal Jair BolsonaroAgência Brasil

O comandante-geral da PM, coronel Wolney Dias, confirmou ao DIA ontem que a corporação conseguiu R$ 83 milhões, em verbas impositivas,  para a compra de viaturas e investimento em infraestrutura, tecnologia, além de projetos oferecidos à população.  

Desse valor, R$ 81,2 milhões são da verba conjunta da bancada do Rio. Outros cinco  deputados federais destinaram individualmente à corporação mais quase R$ 2 milhões em verbas federais a que têm direito por emendas parlamentares, aumentando portanto a quantia  destinada à PM para cerca de R$ 83 milhões.

"O valor é recorde e conseguimos após apresentar projetos a todos os deputados. Para se ter ideia, ano passado conseguimos somente R$ 2 milhões. Cinco deputados nos ajudaram com verbas que poderiam aprovar de forma individual", afirmou o Major Michel Oliveira, assessor parlamentar da corporação. 

Indagado se havia solicitado verbas para ajudar a corporação ao deputado Bolsonaro, o major respondeu que "sim, mas sem sucesso".   

Entre os repasses feitos por Bolsonaro está o valor de R$ 1 milhão à Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende. Outra quantia  foi destinada à Guarda Municipal de Resende, no valor de R$ 200 mil. 

Em junho desse ano, ele chegou a ir na formatura de policiais militares do Rio e posou para fotos, divulgadas em suas redes sociais. O Dia procurou o deputado através do seu gabinete e não obteve retorno. 

Os parlamentares que destinaram verbas da União para projetos apresentados pela PM, além dos repasses feitos pela bancada, são: O Cabo Daciolo (Avante), com R$ 500 mil para equoterapia (tratamento com cavalos para crianças com necessidades especiais); Celso Pansera (PMDB) com R$ 500 mil para compra de viaturas do município de Duque de Caxias;  Miro Teixeira com R$ 236 mil para o BOPM Mobile — projeto para agilizar o registro de ocorrências pelo policial, que atualmente é feito em papel.  Marco Antonio Cabral (PMDB)  e  o deputado Celso Jacob (PMDB) destinaram R$ 500 mil e R$ 280 mil, respectivamente, para  a infraestrutura da corporação, como a compra de coletes. 

Vaquinha

O deputado Celso Pansera é natural de Duque de Caxias e já tinha auxiliado a Polícia Militar  com doações. "Resolvi destinar a verba ao projeto apresentado pois vejo a situação das viaturas. Para conserto dos carros, o comandante do batalhão fez até vaquinha com os comerciantes da região. Na ocasião, contribui com dinheiro próprio", disse. Segundo Pansera, a quantia será suficiente para a compra de cerca de 10 viaturas. 

A assessoria do deputado Marco Antonio Cabral afirmou que ele sempre  divide a verba por emendas parlamentares a que tem direito para Esporte e Saúde, "mas devido à situação de falta de infraestrutura da corporação, aprovou a destinação do valor". 

Toda a verba de R$ 83 milhões é impositiva, ou seja, de execução obrigatória. O Estado deverá dar uma contrapartida até julho de 2018, no valor de 2% do valor, para receber a quantia.

Últimas de Rio De Janeiro