Detido suspeito de participar da morte de comandante de batalhão é inocente

Preso por PMs do batalhão do qual a vítima, o coronel Luiz Gustavo Teixeira, era comandante, ele foi rendido pelos bandidos no dia do crime

Por O Dia

Rio - O homem preso pela PM nesta segunda-feira e apontado como suspeito de participar da morte do coronel Luiz Gustavo Teixeira, comandante do batalhão do Méier, na verdade é inocente. A informação é da Delegacia de Homicídios (DH-Capital), que investiga o crime. 

Policiais fizeram operação no Complexo do LinsSeverino Silva / Agência O Dia

A prisão foi realizada por policiais do 3º BPM (Méier), que era comandado por Teixeira. Na delegacia, o suspeito detido no Lins foi ouvido e se chegou a conclusão que ele também foi vítima dos criminosos ao ser obrigado a ajudar na fuga após a morte do coronel da PM. Os bandidos escapavam da cena do crime quando um deles subiu na sua garupa e apontou uma arma nas suas costas, o obrigando a fugir do local.

Em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo, a mulher do detido disse que os policiais o agrediram após fazer a sua prisão. Em nota, a PM disse que até o momento nenhuma denúncia foi encaminhada à Corregedoria da Polícia Militar. A corporação não informou a motivação da prisão do homem como suspeito do crime.

Policiais civis procuraram suspeitos de matar comandante do 3º BPMSeverino Silva / Agência O Dia

No época do crime o detido chegou a ir na delegacia para registrar o fato. Após prestar depoimento na DH-Capital e o caso ser esclarecido, o homem de 48 anos foi liberado à noite. Procurada, a PM ainda não informou as circunstâncias da prisão e nem o que levou o inocente a ser detido.

Operação da Civil

A DH realiza uma operação, na manhã desta terça-feira, na localidade conhecida como Cachoeirinha, no Complexo do Lins. Pelo menos 80 agentes cumprem dois mandados de busca e apreensão na casa de suspeitos de envolvimento com a morte do comandante do 3º BPM. Até o momento, não há informações sobre tiroteios e feridos no local.

Policiais civis atuaram no Complexo do Lins na manhã desta terça-feiraSeverino Silva / Agência O Dia

"Viemos aqui cumprir mandados. Encontramos farto material que será importante para a investigação", disse o delegado Breno Carnevalle. Já o delegado Fabio Cardoso, também da DH, contou que os agentes procuram Matheus Espírito Santo, 22 anos, conhecido como 'Cheiroso'. "Enquanto ele não for localizado, não vamos interromper as operações tanto aqui quanto em qualquer lugar que ele estiver", enfatizou.

Com informações do repórter Rafael Nascimento

Últimas de Rio De Janeiro