Reclamar Adianta: não compre gato por lebre

A proteção veicular é vendida por cooperativas e associações de classe a preços mais baixos do que o seguro regular

Por O Dia

Rio - A proteção veicular é vendida por cooperativas e associações de classe a preços mais baixos do que o seguro regular. O modelo consiste no rateio dos prejuízos sofridos por todos os sócios, fornecendo proteção mútua de patrimônio, sem reserva técnica e sem fiscalização. É vendido como se fosse um seguro, mas tem regras diferentes e risco alto de, em caso de problemas, o dono do carro não receber indenização.

Essa modalidade de proteção é diferente do seguro automotivo tradicional por prever o pagamento de indenização por prejuízos já ocorridos, como furtos e acidentes e não pelo risco desses casos virem a acontecer. Os valores são divididos entre os associados. Esse sistema resultou num volume elevado de processos judiciais: apenas na Susep.

Está sendo analisado na Câmara dos Deputados através do Projeto de Lei nº 3139/2015, que visa a proibir associações, cooperativas e clubes de benefícios de celebrar contratos de natureza securitária. O assunto é foco de campanha de esclarecimento ao consumidor sobre a atuação de associações e cooperativas que comercializam proteção veicular.

'Educação financeira não é matemática. Trata de comportamentos, hábitos de consumo e poupança sustentáveis', Reinaldo Domingos%2C presidente da AbefinDivulgação

Problema resolvido

Agradeço muito à colaboração de vocês. O rapaz da Nextel entrou em contato comigo nesta última sexta-feira, refizemos as configurações e voltou a funcionar. Falta apenas a formalização do nosso acordo financeiro feito por telefone. A fatura deste mês, verifiquei e foi cancelada em virtudes dos pagamentos feitos anteriormente quando o serviço não funcionava. Saúde e sucesso sempre! Maria Lima, Alcântara - São Gonçalo

Velocidade de conexão

Quero reclamar da velocidade da conexão de internet da operadora Oi. Pago pela velocidade de 15 megas e recebo velocidade inferior. Estou sendo lesada há vários meses. Daniel Ramos Soares, Santa Cruz

A Oi entrou em contato com o cliente e confirmou que o serviço de Velox voltou a funcionar. Foi gerada devolução referente ao período da manutenção e velocidade acima do qualificado. Assessoria de Imprensa da Oi

Sem ônibus

Foi retirada a linha de ônibus 832 Curicica x Barra deixando moradores sem ônibus para o centro da Taquara. Colocaram uma nova linha com o itinerário Curicica x Santa Maria que nos deixa longe do Largo da Taquara. No início da implantação do BRT tinham alimentadores suficientes, depois retiraram causando transtornos a quem mora longe das estações. Curicica está jogada as traças! Sônia dosSantos Silva, Taquara - Rio de Janeiro.

O setor de fiscalização da Secretaria Municipal de Transportes informa que o consórcio que opera a linha citada 832 foi autuada nesta segunda-feira 30/10 por interrupção do serviço. Assessoria de Imprensa - Secretaria de Transportes do Município do Rio.

Importunada

Gostaria de saber da UOL o que preciso fazer para deixar de ser importunada diariamente com ligações e SMS para o meu celular cobrando dívidas de diversas pessoas as quais não conheço. Leni Costa Pereira, Tijuca

Em relação à reclamação da Sra. Leni Oliveira, o UOL informa que seu telefone foi retirado da nossa base de dados e não receberá mais contatos. Assessoria de Imprensa UOL

Dúvidas frequentes - Dina Keller Ferreira Matias, gerente executiva Rio de Janeiro - Norte

Conforme legislação previdenciária, a ex-esposa terá direito a pensão por morte desde que seja recebedora de pensão alimentícia ou qualquer outra ajuda econômica ou financeira do ex-marido, devidamente comprovado, antes da data do óbito.

Em caso de outros dependentes, a pensão será rateada entre todos, em partes iguais, sendo revertido em favor dos demais dependentes a parte daquele cujo direito à pensão cessa. Dina Keller ressalta que para gerar o benefício de pensão, o falecido deverá ter qualidade de segurado.

"Garante a qualidade de segurado aquele que esteja em atividade, contribuindo, aposentado, em auxílio doença ou esteja desempregado há menos de um ano na data do óbito", explica.

"No INSS não há previsão legal de perda do benefício de pensão por morte no caso de novo casamento. Assim, quem recebe o benefício poderá contrair novo matrimônio ou união estável e continuar recebendo a pensão, porém, há impedimento do recebimento de mais de uma pensão decorrente do falecimento do cônjuge ou companheiro, sendo facultado a viúva optar pelo benefício mais vantajoso", informa.

Últimas de Rio De Janeiro