Vereador acusado de encomendar morte vai a júri popular

Além dele, mais quatro pessoas, entre elas dois PMs, serão julgadas

Por O Dia

Rio - O vereador Carlos Macedo (PRP) irá a júri popular nesta terça-feira, na 3ª Vara Criminal de Niterói. A juíza Nearis dos Santos Carvalho marcou a sessão para às 12h. Além dele, mais quatro pessoas também serão julgadas. O parlamentar é acusado de encomendar a morte do vereador eleito Lúcio do Nevada, em 2012, de quem era suplente, para assumir o cargo.

De acordo com o Ministério Público, são réus a então chefe de gabinete, Mariana Soares Queiroz; os policiais militares Jair Martins de Souza Neto e Damião Washington da Silva Ferreira; o segurança José Carlos Alves de Azevedo e também Marco Antonio Titoneli Barbosa. Eles serão julgados pelos crimes de homicídio qualificado (motivo torpe ou fútil), além de formação de quadrilha. No entanto, Mariana não será julgada pois entrou com recurso e a juíza concordou em suspender seu julgamento já que a sua perícia de geoferenciamento ainda não foi concluída.

O vereador Lúcio do Nevada foi executado com pelo menos 10 tiros, em Niterói, na frente da casa dos pais, dias após o resultado das eleições. Ele chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu.

Segundo as investigações, os seguranças do vereador integravam um grupo de extermínio de Magé, na Baixada Fluminense. Macedo chegou a ser preso em 2013, mas responde ao processo em liberdade. Nas eleições de 2016 ele foi eleito novamente.

Procurada pelo DIA, a assessoria de Carlos Macedo ainda não se pronunciou até a publicação desta matéria.

Últimas de Rio De Janeiro