Informe: venda da Cedae só em 2019

A avaliação é que o BNDES ainda deverá demorar mais de seis meses para definir o modelo do bilionário processo de privatização

Por O Dia

Rio - Representantes da alta cúpula do Palácio Guanabara acreditam que a Cedae só seja privatizada em... 2019, quando outro governador já estará no lugar de Pezão (PMDB). A avaliação é que o BNDES ainda deverá demorar mais de seis meses para definir o modelo do bilionário processo de privatização: se haverá divisão por municípios e se todos os serviços, como tratamento de esgoto e distribuição de água, serão repassados à iniciativa privada. "Concluída essa etapa, a eleição de 2018 já estará batendo à porta. Algum candidato vai se posicionar contra a privatização. Não vai ter clima para tocar essa agenda com a eleição em andamento", diz um aliado de Pezão.

Subiu a plaquinha

A Assembleia Legislativa definiu quem substituirá Paulo Melo (PMDB), preso, na presidência da poderosa Comissão de Orçamento da Alerj: Gustavo Tutuca (PMDB). Já no lugar de Edson Albertassi (PMDB), também preso, na não menos poderosa Comissão de Constituição e Justiça assumirá Chiquinho da Mangueira (Podemos), que já presidira a sessão da CCJ há uma semana, quando deu parecer pela soltura de Albertassi, Melo e Jorge Picciani (PMDB).

Ética

Já na Comissão de Ética, antes presidida por Albertassi, ainda não foi definido um nome para a presidência. Não houve clima para discussão quando os deputados souberam que a prisão do pecuarista Felipe Picciani, filho de Jorge e irmão do deputado Rafael (PMDB), passara de temporária para preventiva (sem prazo para sair da cadeia).

Reconhecimento

O juiz Marcelo Bretas, da Lava Jato, usou o Twitter para comentar nota publicada pelo Informe que mostrou que o vice-governador, Francisco Dornelles (PP), disse ter "grande admiração" pelo trabalho que Bretas "está fazendo". O magistrado escreveu: "Em caráter pessoal, reitero o agradecimento pelo elogio. A Justiça é promotora da PAZ, seja pela correção dos erros, seja pelo temor que inflige aos que pensarem em cometê-los".

Gasto nas alturas

No dia 24 de fevereiro, o Informe revelou que Régis Fichtner, ex-secretário da Casa Civil de Sérgio Cabral, assinara 19 contratos com a empresa Líder Táxi Aéreo. E que, por um total de 26 celebrados com o governo Cabral, a empresa recebera R$ 14,777 milhões. A Coluna também mostrou que a Líder Táxi Aéreo fora cliente da Andrade & Fichtner Advogados, de 1999 a 2016, em duas ações de reintegração de posse.

E...

Régis Fichtner foi preso ontem. Entre as denúncias destacadas pela procuradora Marisa Ferrari, do Ministério Público Federal, o favorecimento de Fichtner à Líder Táxi Aéreo.

Resposta e vaia

Secretário de Saúde na gestão do ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB), Daniel Soranz foi vaiado ontem em um colóquio de Saúde na Fiocruz. Foi após tomar o microfone para rebater crítica do vereador Paulo Pinheiro (Psol) a Rubem César, presidente da organização social Viva Rio. Pinheiro dissera que César tinha pretensão de se candidatar ao governo.

Negros na mídia

O debate 'Representatividade negra da mídia' ocorrerá hoje, às 13h, na Uerj. Entre os convidados, os jornalistas Leandro Resende, com passagem pelo DIA e hoje na Agência Lupa, e a assessora de imprensa Thais Bernardes.

 

Últimas de Rio De Janeiro