Polícia Civil omite nomes dos sete mortos em operação da PM no Caju

Outra questão que não ficou bem esclarecida é se os sete homens foram levados com vida ou já mortos para o Hospital Municipal Souza Aguiar

Por O Dia

Rio - A Polícia Civil ainda não esclareceu quem são os sete homens que morreram durante confronto entre facções e policiais na madrugada de sábado, passadas quase 48 horas depois de de uma operação da PM no Caju, Zona Portuária. Na ocasião, o comandante do Batalhão de Choque, coronel Mauro Fliess, disse que a tropa trocou tiros com bandidos e que só as investigações poderão dizer se foram mortos por PMs ou traficantes. Segundo ele, todos eram criminosos e portavam sete fuzis.

Homens do Batalhão de Choque encontraram sete suspeitos feridos no CajuDivulgação

Questionada novamente no início da noite deste domingo sobre as identificações dos mortos, a Civil respondeu apenas que "não há mais informações a serem passadas no momento" e que a polícia segue investigando. O Batalhão de Choque divulgou os nomes de quatro presos que restavam ser identificados: Kleberson de Andrade Lopes, Rodrigo Rodrigues Pereira, Cleibson Gomes Farias e Francisco Apolônio da Silva. Eles seriam da facção ADA, segundo o Choque. Ao todo, 13 foram presos na ação.

Outra questão que não ficou bem esclarecida é se os sete homens foram levados com vida ou já mortos para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. O comandante do Batalhão de Choque afirmou que eles estavam feridos quando foram socorridos e que morreram ao dar entrada na unidade de saúde. Já a Secretaria Municipal de Saúde atestou que todos chegaram mortos ao hospital.


Últimas de Rio De Janeiro