Rodoviários protestam na porta de empresa de ônibus na Zona Norte

Paralisação foi motivada pelo atraso de pagamento do vale-refeição e do pagamento do 13º salário

Por O Dia

Rio - Motoristas da Viação Estrela Azul decidiram cruzar os braços, na manhã desta sexta-feira, e não saíram da garagem, em Vila Isabel, Zona Norte. A paralisação é motivada pelo atraso no pagamento do vale-refeição e do pagamento do 13º salário. A Estrela Azul reúne dez linhas que circulam até a Zona Sul, como a 434 (Grajaú x Copacabana), 435 (Grajaú x Gávea) e 464 (Maracanã x Copacabana).

Rodoviários protestam na porta de empresa de ônibus na Zona NorteMaíra Coelho / Agência O Dia

Os profissionais explicaram que estão sem vale-refeição há 12 meses e que o pagamento dos salários é feito por ordem alfabética. Segundo eles, quem tem o nome com a letra 'W' recebe o depósito com até 30 dias de atraso. Os rodoviários destacaram ainda que não recebem o FGTS há um ano.

"Trabalhamos e queremos a nossa parte. Tenho contas a pagar e ninguém quer saber disso", disse um motorista, que preferiu não se identificar, e está há cinco anos na linha 464. Os manifestantes devem se reunir com um representante da empresa ainda nesta sexta-feira.

?Crise nas empresas de ônibus

Nesta semana, funcionários de várias empresas, como Viação Nossa Senhora de Lourdes, Rubanil, América e Madureira Candelária interromperam as atividades e exigiam os pagamentos dos salários atrasados, do 13º, das férias e de cesta básica. Nesta quinta-feira, após uma assembleia o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio (Sintraturb Rio) anunciou que haverá uma paralisação geral da categoria no dia 31 de dezembro.

De acordo com Sebastião José, presidente da entidade, como não existe mais nenhum interesse por parte dos empresários de ônibus em negociar, a categoria optou pela paralisação.

"Os profissionais vivem hoje uma verdadeira calamidade, já que estamos há 17 meses sem reajuste salarial. Com essa briga entre o executivo municipal, Fetranspor e Judiciário, quem acaba sofrendo as consequências são os motoristas e cobradores. Em todos esses anos como sindicalista nunca presenciei tamanho desrespeito com os profissionais que fazem a cidade se movimentar transportando milhares de pessoas diariamente", disse.

O DIA entrou em contato com a Viação Estrela Azul. No entanto, até a publicação desta reportagem, a empresa não havia se pronunciado a respeito da paralisação dos funcionários.

Últimas de Rio De Janeiro