Um movimento pela paz no Rio de Janeiro

O Virar da Paz trará o diálogo sobre a violência por meio de ações de entretenimento, palestras, atividades de empoderamento, visando contribuir com uma sociedade mais justa, sem violência ou preconceitos.

Por O Dia

Em tempos de números de guerra no Rio de Janeiro, espaços de diálogo e trocas de conhecimento são urgentes para pensar estratégias para promoção da paz.  O Virar da Paz, projeto patrocinado pelo Conselho Nacional do SESI, em parceria com a FIRJAN e realização da Amfibra, acontecerá no dia 09 de dezembro e tem como inspiração o ViraVida, o projeto que atua na Rocinha. O evento irá oportunizar reflexões sobre a violência no Rio com pessoas que moram nos locais mais impactados por ela: as favelas cariocas.

O Virar da Paz trará o diálogo sobre a violência por meio de ações de entretenimento, palestras, atividades de empoderamento, visando contribuir com uma sociedade mais justa, sem violência ou preconceitos.

Entre as palestras e rodas de conversa, o projeto contará com temas que vão debater o protagonismo juvenil, o genocídio da juventude negra e pobre e políticas públicas para o jovem. As discussões contarão com nomes como o pedagogo Alfredo Gomes da Costa, - Pedagogo, pós-graduado em Administração de Recursos Humanos, palestrante, escritor e consultor no campo do desenvolvimento social e da ação educativa, Luana Almeida, psicóloga do Programa ViraVida/Rio de Janeiro e Antônio Marcos Inácio da Silva, Jovem Aprendiz, SESI Rio de Janeiro, mediadora Roberta Nacfur Macedo, Assessora de Projetos do Conselho Nacional do SESI.

A questão de gênero também será um tema discutido, por conta dos altos números de feminicídio e trará para a discussão a Lei Maria da Penha, o combate à violência contra a mulher e o empoderamento feminino que contará com palestra da atriz Naura Schneider e Rafael Luz - psicólogo pelo TJ RJ, professor de psicologia na Estácio de Sá. Mestre em Psicologia pela UFRJ, especialista em Gênero e Sexualidade pela UERJ, Hannah de Vasconcellos, jornalista e pesquisadora na área de feminismo negro e subjetividades.

Outro tema importante e que será debatido é o preconceito. Em palestras com especialistas como Nélio Georgini, coordenador da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio de Janeiro e Lelette Couto, Produtora Cinematográfica e militante da causa racial e Dr. Thales Treiger, defensor público federal e defensor regional de direitos humanos da DPU/RJ, mediadora Eliane Carvalhar Damasceno, coordenadora da Divisão de Negócios em Responsabilidade Social da FIRJAN, a comunidade poderá conversar sobre a importância da valorização da diversidade e o respeito às diferenças, visando formar uma sociedade menos desigual e, por consequência, mais pacífica.

O Virar da Paz será realizado de 9h às 13h, no Teatro do SESI, na Av. Graça Aranha, n.1, Centro, Rio de Janeiro. A entrada é franca.

Inscrições no local.

Últimas de Rio De Janeiro