Acusado de contaminar mulheres com HIV tem pedido de prisão domiciliar negado

Soropositivo, Renato Peixoto Leal Filho tentou deixar a cadeia, mas a Seap comprovou que ele recebe todo o tratamento médico necessário

Por O Dia

Renato Peixoto Leal Filho%2C 46 anos%2C teve o pedido de prisão domiciliar negadoReprodução

Rio - A Justiça negou, nesta terça-feira, o pedido de prisão domiciliar de Renato Peixoto Leal Filho, preso desde julho desse ano acusado de contaminar mulheres com o vírus HIV.

Os advogados de Renato tentaram converter a prisão preventiva em prisão domiciliar, mas a juíza Lucia Regina Esteves de Magalhães, da 19ª Vara Criminal, rejeitou o pedido. Na decisão, a magistrada afirma que a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) comprovou que Renato “está recebendo acompanhamento de médicos e medicamentos para tratamento”, não se fazendo necessário, assim, a ida do preso para a prisão domiciliar.

Renato, de 46 anos,  é portador do vírus do HIV e acusado de fazer sexo sem proteção com mulheres e de não avisá-las de sua condição, o que teria acontecido repetidas vezes por vários anos.

A prisão preventiva foi decretada, segundo a Justiça, porque havia “perigo na manutenção da liberdade do réu”, por conta da sedução de mulheres nas redes sociais. Ele responde por lesão corporal e lesão corporal gravíssima.


Últimas de Rio De Janeiro