Procon Carioca descarta 172 quilos de alimentos durante fiscalização

Ação faz parte da operação nomeada de Boas Festas

Por O Dia

Rio - Em quatro dias, o Procon Carioca fiscalizou 13 supermercados e notificou cinco. De acordo com o órgão, um total de 172 quilos de alimentos foram descartados. A ação faz parte da operação nomeada de Boas Festas.

Fiscais encontraram moscas nos alimentosDivulgação

Só no Extra da 28 de Setembro, em Vila Isabel, os fiscais jogaram fora 67 quilos de carne que estavam sem informações de fabricação, validade e boa parte com mau cheiro. Já no Intercontinental da Cônego de Vasconcelos, em Bangu, as moscas faziam a festa nos salgados descobertos, como linguiças e carne seca que também estavam sem datas de fabricação e validade. Lá, havia frango fora da temperatura ideal e com a embalagem violada.  

Mais de 170 kg de alimentos foram descartados%2C pois estavam impróprios para o consumoDivulgação

No Supermarket da Conde de Bonfim, na Tijuca, os fiscais descartaram 35 quilos de alimentos. Entre eles salsicha fora da temperatura ideal, queijo prato e lombo canadense com embalagens violadas. O Mundial da Érico Veríssimo, na Barra, também apresentou irregularidades: 37 quilos de hambúrguer e steak de frango foram jogados fora por estarem fora da temperatura recomendada. Já o Carrefour do Norte Shopping também não escapou da notificação do Procon Carioca. Os fiscais encontraram pequenas baratas na padaria.

O presidente do órgão, Jorge Braz, citou um destaque nessa fiscalização de fim de ano. “É importante destacar, aqui, um exemplo a ser seguido: O Extra da Rua Maxwell, no Andaraí, estava bem limpo e impecável, seguindo as normas do Código de Defesa do Consumidor. É assim que deve trabalhar o empresário que está lidando com a saúde pública. Isto é obrigação”, disse Jorge Braz. 

Respostas dos mercados

Procurados pelo DIA, o Carrefour informou que "o fato é pontual e isolado e não condiz com as práticas da empresa e com sua política de Segurança Alimentar, que respeita as determinações da Vigilância Sanitária." Ainda em nota, a companhia disse que "reforçou os procedimentos internos e orientações às suas equipes, intensificando ainda os processos de higiene, limpeza e dedetização da unidade."

Já o Extra afirma "que a questão apontada pela fiscalização não condiz com o padrão operacional exigido pela companhia e que segue rigorosamente as normas exigidas pela legislação vigente. Os produtos foram descartados imediatamente".

Em nota, o Mundial diz "que os pontos levantados na operação já foram corrigidos. Com 74 anos de atuação no mercado do Rio de Janeiro, o Mundial respeita o trabalho realizado pelo órgão e busca atender todas as orientações estabelecidas, prezando sempre pela qualidade dos produtos e serviços oferecidos aos seus clientes".

Nesta sexta, o Inter admitiu que está "sujeito a falhas" e se desculpou, prometendo melhorar as condições do estabelecimento. "O primeiro passo para uma melhoria na prestação de serviço é aprender com as nossas próprias experiências e reconhecer nossos erros. Em que pese o Supermercado “Inter” ter uma preocupação com a qualidade dos alimentos, possuindo rígido controle e atuando conforme as diretrizes expedidas pelos órgãos de fiscalização, é certo que uma empresa, assim como qualquer pessoa, está sujeita a falhas, e em virtude deste episódio, adotamos medidas imediatas para correção das mesmas. Desculpando-se pelo singular fato ocorrido, o Supermercado “Inter” reitera seu compromisso de oferecer as melhores condições de higiene, qualidade dos produtos e atendimento aos seus clientes", diz o comunicado.

O SuperMarket ainda não retornou ao contato da reportagem.

Últimas de Rio De Janeiro