Mosquito Aedes Aegypti também ameaça mundo animal

Cães e gatos correm risco de contrair doença

Por O Dia

Rio - Além dos humanos, os cães e gatos também são alvos do Aedes aegypti. É, gente, a coisa não está boa nem para os peludos. Entretanto, nos animais o mosquito não transmite dengue, zika e chikungunya, mas uma doença chamada dirofilariose, conhecida como o verme do coração. E, atenção, ela pode matar o bichinho.

De acordo com a professora da UFF e especialista na doença, Norma Labarthe, a transmissão acontece pela picada, que é quando o mosquito coloca o verme na corrente sanguínea dos pets. Ele fica alojado nas artérias pulmonares e do lado direito do coração dos bichos atrapalhando a circulação. O parasita tem mais de 20 centímetros. Norma explica que os sintomas são discretos e demoram a aparecer, pois o animal vai se adaptando ao verme. Até que chega um dia que o pet apresenta cansaço e tosse e a doença evolui. E um alerta: a dirofilariose mata os gatos mais rápido que os cães.

Mafalda usa a coleira Seresto que evita picadas de mosquitoDivulgação

A especialista aconselha a prevenção com exames de rotina. Segundo ela, o tratamento da cura, além de ser mais caro, coloca em risco a vida do animal. 

E são muitas as maneiras de evitar que o Aedes aegypti, pulgas, carrapatos e outros mosquitos piquem seu peludo. Para prevenir os gatos contra a dirofilariose, ou o verme do coração, o recomendável é o Advocate, da Bayer.

O Advocate é um produto que também previne contra o verme do coração (Dirofilaria Immitis), pois interrompe o ciclo de vida deste parasita. O medicamento ainda elimina as pulgas adultas presentes no animal no primeiro dia de tratamento e continua eliminando novas pulgas por quatro semanas. Os veterinários recomendam uma aplicação mensal para prevenir reinfestações. Uma única dose do produto elimina também todos os vermes adultos no intestino e continua eliminando os estágios jovens por quatro semanas.

Outro produto da Bayer também recomendado contra os parasitas é a coleira Seresto. Meus três filhos usam e fiquei tão satisfeita com o resultado que resolvi compartilhar com vocês. Desde setembro que a gente nunca mais precisou fazer aplicações de remédios contra pulgas e carrapatos em Mel e Tobe e nem trancar Chico, o gato, no banheiro para passar o produto nele.

Tem duração de oito meses e é só colocar no pescoço do pet e pronto. A gerente de produto da Saúde Animal da Bayer, Ana Leticia Gulin, garante que a coleira é segura tanto para os animais quanto para a família e o meio ambiente. O produto é indicado para cães com mais de sete semanas de idade, e gatos a partir de dez semanas. E o custo é de R$ 160.

Bióloga e entomologista da Bayer, Maria Fernanda Zarzuela, alerta também para os cuidados com o ambiente. Instalar telas nas janelas, controlar plantas nas áreas externas e internas, usar velas ou plantas aromáticas e fazer controle químico do ambiente ajudam a manter nossos peludos protegidos.

Últimas de Rio De Janeiro